A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página
Evento

Modelo de avaliação da pós-graduação é tema de palestra do 10º Semapós

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Quinta, 12 de Novembro de 2020, 11h53 | Última atualização em Domingo, 22 de Novembro de 2020, 21h57 | Acessos: 135

Atividade ocorreu durante a programação do 9º Congresso de Pesquisa e Pós-Graduação do Campus Rio Verde e 10º Seminário de Avaliação dos Programas de Pós-Graduação do Instituto Federal Goiano.

A palestra "Avaliação Multidimensional da Pós-Graduação Brasileira: expectativas e perspectivas” , conduzida pelo Diretor de Avaliação - CAPES, professor Flávio Anastácio de Oliveira Camargo, foi transmitida pelo no canal de YouTube do IF Goiano. A atividade fechou a programação do 9º CPPG e 10º Semapós aberta ao público. A moderação foi feita pelo pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do IF Goiano,  professor Alan Carlos Costa, e pelo professor da Universidade Federal de Santa Maria, Carlos Alberto Ceretta.

Segundo o palestrante, o Sistema Nacional de Pós-graduação hoje possui um volume muito grande de cursos, com mais de 4.600 programas, 288.590 matriculados e 104.101 docentes. "A avaliação de pós-graduação está dividida em três pilares: insumos, objetivos e resultados", explicou. "Os desafios que temos é manter a qualidade de formação de recursos humanos, mas ampliar os segmentos de atuação. Precisamos pensar em um novo mercado que está surgindo, que são os empreendedores", explicou se referindo à pós-graduação no país.

Flávio explicou que o modelo atual de avaliação quadrienal possui uma estrutura dividida entre algumas dimensões que irão passar por atualização: modelo único, escala nacional, padrões e critérios uniformes, pequenas adaptações das especificidades, nota única, operacionalização mais rígida, desconsidera diferenças de contexto, acentua assimetrias geográficas e sociais. "O modelo atual é bom em função da consistência de resultados, mas precisa melhorar com relação à diversidade de ofertas", explica. 

O diretor de avaliação da CAPES afirmou que o novo modelo de avaliação pretende imprimir uma mudança de paradigma na avaliação dos programas. O novo modelo pretende contemplar: a diversidade e complexidade do Sistema Nacional de Pós-graduação, múltiplas visões das identidades dos programas, fortalecimento de vocação dos PPG, indicadores apropriados às dimensões, autoavaliação e planejamento estratégico, produções indicadas, egressos, indicadores qualitativos e quantitativos, Qualis e qualidade do Programa de Pós-graduação. "Esta proposta é um olhar mais aprofundado nos programas, buscando contemplar a diversidade de programas que temos no país. Por consequência, pretendemos ter um olhar mais amplo sobre os programas", explica. 

Sobre os eventos

Tanto o Congresso, quanto o Seminário, visam contribuir para o diagnóstico, planejamento e melhoria dos indicadores dos programas; promover a atualização sobre as regras da CAPES nas diferentes áreas em que o IF Goiano oferece cursos de pós-graduação; contribuir na melhoria da formação de recursos humanos; promover a discussão e o compartilhamento de experiências em temas relacionados a pesquisa e a pós-graduação; bem como aumentar a eficiência da captação de recursos em agências de fomento. Os eventos são direcionados a discentes e docentes envolvidos em pesquisa e comunidade acadêmica em geral.

Nesta quinta-feira (12) acontecem os Seminários de Avaliação dos Programas de Pós-Graduação. O evento é fechado ao público.

Os certificados dos participantes inscritos serão liberados a partir do dia 14 de novembro pela página do 9º CPPG e 10º Semapós

 

 

Diretoria de Comunicação Social
Fim do conteúdo da página