A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

Campus Avançado Hidrolândia realiza trabalhos com produção de mudas de pequi

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Segunda, 22 de Março de 2021, 13h33 | Última atualização em Terça, 06 de Abril de 2021, 12h09 | Acessos: 60

Essa ação teve como objetivos a produção de mudas de pequi para o enriquecimento do bioma cerrado dentro do Campus e a realização de pesquisas dentro do Sistema Agroflorestal (SAF). 

imagem sem descrição.

Esse projeto de produção das mudas de pequi foi coordenado pelo técnico em agropecuária do Campus, Diego Azevedo, e contou com a colaboração do zootecnista Doutor Sandro Santos, do docente Doutor Tadeu Cavalcante, assim como dos colaboradores do campo. 

As atividades do projeto se iniciaram no final de 2019 com a coleta dos frutos de pequi. A partir daí, foram realizados quatro tratamentos diferentes na fase de preparo dos frutos antes de serem colocados para germinar. A diferença entre os tratamentos foi o número de dias em que cada um foi realizado. Os frutos foram deixados imersos em água para facilitar a remoção de parte da polpa, em seguida, foi realizada uma secagem a temperatura ambiente e, depois, imersos em solução com ácido giberélico (GA3). 

Todas essas etapas foram importantes para garantir uma boa germinação. Após vinte dias no germinador, iniciou-se a emergência de plântulas. Por volta de 60 dias após a emergência, as plântulas foram transplantadas para saquinhos plásticos com substrato (solo de barranco + areia + esterco), onde permaneceram dentro da casa de vegetação com irrigação controlada, até o momento do transplantio para o campo.

Com um percentual de 26,25% de germinação foi possível obter, aproximadamente, 100 mudas que foram implantadas dentro do Sistema Agroflorestal (SAF) para futuros trabalhos de pesquisa no Sistema de Integração Lavoura Pecuária Floresta. Além disso, algumas dessas mudas foram doadas. 

O técnico em Agropecuária, Diego Azevedo, comenta que: “diante do constante aumento da devastação do bioma cerrado, é de extrema importância trabalhos visando à recuperação e enriquecimento deste bioma. Dentre os frutos nativos do cerrado, o pequi (Caryocar brasiliense) é o mais consumido e comercializado, tendo uma grande importância econômica, principalmente, para as populações agroextrativistas e economias locais. Ações como esta tendem a contribuir com a recuperação, enriquecimento e propagação da espécie dentro do bioma. Além de, posteriormente, permitir a inserção de alunos em trabalhos de pesquisas dentro do campus”. 

Núcleo de Comunicação Social e Eventos do Campus Avançado Hidrolândia

 

Fim do conteúdo da página