A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

Debate sobre Gênero mobilizou a comunidade acadêmica na última sexta-feira

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Quarta, 15 de Junho de 2016, 13h34 | Última atualização em Segunda, 18 de Julho de 2016, 12h49 | Acessos: 903

Na sexta-feira, 10, o Núcleo de Ciência, Arte e Cultura do Campus Posse realizou o 1º Ciclo de Debates sobre Gênero.

imagem sem descrição.

 Estiveram presentes alunos dos cursos de Agropecuária, ensino médio e concomitante, Informática e Administração, além de servidores do campus e alunos de outras escolas da cidade.

Pela manhã houve uma mesa sobre o conceito de gênero com as debatedoras Roberta Fernandes, psicóloga estudiosa nas questões de gênero, Emile Cardoso, professora de Letras na UEG-Formosa estudiosa de gênero do cinema, e Michelle Santos, professora de História da UEG-Formosa estudiosa da teledramaturgia brasileira. Também aconteceu uma exposição fotográfica intitulada “Visões sobre o feminino”, produzida pelos alunos do 1º ano do Ensino Médio Integrado em Agropecuária para a disciplina de Artes, ministrada pela professora Larissa Leal, que foi elogiada pelas debatedoras. Pela tarde, o público assistiu a filmes que colocavam na centralidade o papel feminino na sociedade contemporânea e debateram com as estudiosas. Para a aluna Alinne Grazieli, os debates foram interessantes: “Pudemos conhecer coisas que antes não sabíamos que existiam ou que antes não entendíamos muito bem. E pudemos ver nos filmes coisas que a gente passa e sente no dia-a- dia”.

A professora Kenia Medeiros, coordenadora do evento, salientou a importância de se abrirem espaços como esse na escola e, nesse sentido, avaliou o evento como um sucesso: “Nossa intenção era provocar um debate qualificado e científico sobre o tema, combatendo os estereótipos sociais e os lugares-comuns, para mostrar que a questão é muito mais complexa e que o respeito é fundamental”.

 

Fim do conteúdo da página