A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

Campus Rio Verde conta sua história de 50 anos

Publicado: Sexta, 02 de Junho de 2017, 20h28 | Última atualização em Segunda, 05 de Junho de 2017, 17h42 | Acessos: 795

Há várias formas de se contar uma história, mas o Campus Rio Verde do IF Goiano contou a sua durante um grande encontro entre servidores aposentados e em atividade.

O dia escolhido foi este 02 de junho, três dias antes da data exata da implantação do então Ginásio Agrícola (hoje Instituto Federal Goiano), que é 05 de junho. O local, não podia ser outro, o próprio campus, por onde muitos já passaram e outros ainda passam ajudando  na construção da história desta importante instituição.  Além dos servidores, estiveram presentes, alunos, egressos, representantes da comunidade rio-verdense e dirigentes de vários campi do IF Goiano e também da reitoria.  

Foram quatro horas de encontro, que teve início com um café ao som de músicas entoadas pela professora do campus, Aline Gobbi e pelo professor da UniRV, Cláudio Barbosa. O cerimonial foi conduzido por Claudecir Gonçales, professor do campus e atualmente titular da pasta da Pró-reitoria de administração e planejamento.  Claudecir iniciou a cerimônia lendo um breve histórico da instituição. Em seguida, foi apresentado um vídeo sobre a construção de uma jornada de meio século.

Dirigentes

Convidados a contar suas histórias, três  ex-diretores e o atual diretor-geral emocionaram os presentes. O primeiro a falar foi o professor Gilberto José de Faria Queiroz, que atuou na direção-geral no período de 1996 a 2004 e 2009 a 2011, quando se aposentou. Bem humorado, professor Gilberto lembrou de sua trajetória como professor e como dirigente. Fez questão de homenagear a todos que com ele estiveram durante o período em que atuou na instituição, lembrando especialmente, dos alunos.

O atual diretor, professor Anísio Correa da Rocha, falou em seguida e, muito emocionado, fez uma reverência especial ao professor Gilberto, a quem chamou de “grande mentor e visionário”, referindo-se a sua audácia em dar início ao funcionamento da então Escola Agrotécnica Federal de Rio Verde, no período noturno. Ressaltou também o pioneirismo do Sr. Valdomiro Pereira,  que trouxe “a semente da instituição de Urutaí”. Ao professor Vicente Pereira - hoje reitor do IF Goiano -  o reconhecimento pela sua trajetória no Campus Rio Verde, onde foi aluno, professor, dirigente, sendo inclusive, diretor-geral e que, mesmo atuando por duas gestões como reitor, portanto, fora do domicílio de origem, não perde o vínculo afetivo com o campus. Anísio mencionou, com carinho, a parceria dos atuais gestores que, ao seu lado ajudam na continuidade da construção da história desta unidade de ensino.

Em seguida, falou o professor Vicente. O ex-aluno do campus pouco lembrava o magnífico reitor, visível era sua descontração.  Aos poucos, o ar descontraído foi dando lugar à emoção, sobretudo, quando se referiu as “tias” do refeitório, ali representadas pela dona Elza e dona Maria. Professor Vicente reconheceu a importância da instituição em sua história de vida, mas ressaltou uma, em especial. Foi nela que conheceu Cinara, servidora técnica administrativa da instituição, com quem se casou.   

Por fim, falou o Sr. Valdomiro. A ele coube a incumbência de contar como foi o processo de implantação da instituição em Rio Verde. Com o ar sereno de sempre, relatou sua saída do Campus Urutaí, enfrentando estradas de lamas, para chegar a Rio Verde e dar início ao sonho de trazer uma unidade de ensino para o sudoeste goiano.  Morou nas dependências da instituição, onde constituiu família e criou seus filhos. Aposentou-se 45 anos depois de ter construído uma relevante história na diretoria administrativa do campus.

Egressos

A unidade de ensino de Rio Verde foi responsável pela formação de muitos jovens ao longo de seus 50 anos.  Esses egressos foram representados por Arício Vieira da Silva, também ex-aluno do campus. Em seu depoimento, contou da luta de seu pai na antiga Escola Agrícola de Brasília na década de 1960. Depois de consolidada a construção daquela escola, a família de Arício veio para a escola de Rio Verde, onde seu pai trabalhou e Arício estudou. Muito emocionado, o ex-aluno, que hoje é advogado e também servidor do campus falou com orgulho de sua origem. O egresso recebeu das mãos de Edevaldo de Souza, outro ex-aluno do campus, o certificado de reconhecimento pela sua atuação na instituição.

O encontro encerrou-se com homenagens aos atuais diretores sistêmicos e apresentação de membros da comissão que organizou todas as atividades relacionadas ao cinquentenário. Atividades essas que tiveram início em junho do ano passado e serão encerradas com a publicação de um livro que contará toda a trajetória do campus ao longo de meio século.

Veja fotos

 

Ada Bispo

(Assessora de Comunicação Social do Campus Rio Verde - que orgulha-se de contar, diariamente, a história deste campus)

Fim do conteúdo da página