A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

Solicitação de ISSN

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Segunda, 11 de Dezembro de 2017, 18h11 | Última atualização em Segunda, 11 de Dezembro de 2017, 18h11 | Acessos: 939

A Rede ISSN (ISSN Network) é uma organização intergovernamental representada por 83 centros nacionais e regionais, em todo o mundo. Com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a Rede foi criada em 1971 e implantada três anos mais tarde para apoiar o controle bibliográfico mundial de publicações seriadas, por meio de um código único, o ISSN (International Standard Serial Number). Atualmente, a ISSN Network é coordenada pelo Centro Internacional do ISSN, com sede em Paris, e já possui, em todo o mundo, mais de 1 milhão de títulos de publicações seriadas identificadas com esse código. Constitui a mais completa e abrangente fonte de informação sobre publicações seriadas.

Desde 1975, o IBICT vem desenvolvendo as funções de Centro Nacional da Rede ISSN. A partir de 1980, o IBICT se estabeleceu como Centro Brasileiro do ISSN (CBISSN), por meio de acordo firmado entre o Centro Internacional do ISSN e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), ao qual era vinculado à época. Assim, o IBICT passou a ser o único membro no Brasil para atribuição do código ISSN junto aos usuários em geral e editores em particular.

O ISSN (International Standard Serial Number), sigla em inglês para Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas, é o código aceito internacionalmente para individualizar o título de uma publicação seriada. Esse número torna o título da publicação único e definitivo e seu uso é padronizado pela ISO 3297 (International Standards Organization).

Por ser um código único, o ISSN identifica o título de uma publicação seriada que esteja em circulação, em fase de lançamento ou que já saiu de circulação, seja qual for o idioma ou suporte físico utilizado (impresso, online, CD-ROM e demais mídias).

O ISSN é composto por oito dígitos distribuídos em dois grupos de quatro dígitos cada, ligados por hífen e precedido sempre por um espaço e a sigla ISSN. Exemplo: ISSN 1018-4783.

O uso do ISSN como único identificador de padrão internacional confere vantagens ao editor. Ele possibilita rapidez, produtividade, qualidade e precisão na identificação e controle da publicação seriada nas etapas da cadeia produtiva editorial. Entre as editoras, por exemplo, seu uso facilita a identificação rápida e precisa de suas publicações, o que possibilita uma verificação eficaz e simples no intercâmbio eletrônico de informações.

Para livrarias, distribuidoras, agências de assinaturas, varejo automatizado, bancas de jornal, o uso do ISSN agiliza a administração dos serviços de vendas e controle de estoque desses estabelecimentos.

Para os serviços institucionais, como Depósito Legal[1], bases de dados e bibliotecas, a aplicação do ISSN auxilia no controle da produção editorial do país, promove a identificação de títulos, a recuperação e transmissão de dados, além de melhorar a organização de acervos, os empréstimos entre bibliotecas, os serviços de indexação e resumos, os serviços de aquisição bibliográficos e a comutação bibliográfica. Nos catálogos coletivos nacionais e regionais, o ISSN facilita as operações de identificação, localização de títulos, transferência de dados e fusão de acervos.

Regras de Aplicação: 

- Quando uma publicação é editada em diferentes meios físicos, com o mesmo título ou não, diferentes números ISSN devem ser atribuídos.

- No caso onde há mudança no meio físico da publicação, um novo ISSN deve ser atribuído. Por exemplo:

- No entanto, o mesmo ISSN pode ser utilizado para diferentes formatos de arquivo (ASCII, PostScript, Hipertexto, PDF) da mesma publicação online. Publicação com múltiplas formas físicas (por exemplo, uma publicação impressa com um CD-ROM incluído ou uma gravação de vídeo) só será atribuído um ISSN a essa publicação.

Não será atribuído ISSN:

- Para Web sites comerciais, páginas pessoais na web, páginas da Web que contenham apenas links para outras URLs.

- Para Weblogs pessoais.

- Para publicações cujo todo o conteúdo é disponibilizado em PDF.

O uso do ISSN não é obrigatório, mas certamente garante ao editor uma visibilidade qualificada ao seu produto. Entretanto, antes de solicitar o ISSN ao Centro Brasileiro do ISSN, é importante observar:

Um ISSN é intransferível, ou seja, ele nunca pode ser utilizado por outro título, sendo exclusivo do título ao qual foi atribuído.

Qualquer mudança no título do periódico deve ser informada ao Centro Brasileiro do ISSN (CBISSN), que vai avaliar a necessidade ou não de atribuição de novo ISSN ao periódico.

Cada versão em meio físico deve ter seu próprio ISSN. Caso a publicação tenha outras versões em diferentes idiomas, cada uma delas deve ter seu próprio ISSN. O ISSN somente será atribuído a publicações online que tenham seu primeiro fascículo já disponível na Internet. Essa observação também vale para os artigos.

O ISSN é atribuído também a anais de congressos, seminários, encontros etc, mas nunca é atribuído a páginas ou a outras peças promocionais de eventos, mesmo que sejam eventos científicos. Portanto, folders, cartazes, hotsites e blogs não recebem ISSN.

Antes de efetuar o pagamento das taxas administrativas, é preciso verificar se a editora/autor corporativo já possui um cadastro no Centro Brasileiro do ISSN.

Atribuição do ISSN: 

1 - Publicação impressa - lançamento

- Formulário de solicitação de código ISSN devidamente preenchido
- Boneco definitivo (sem emendas ou rasuras) das seguintes partes do primeiro número da publicação:
- Capa
- Folha de rosto
- Expediente
- Sumário
- Editorial ou apresentação
- Um artigo


2 - Publicação impressa - já em circulação

- Formulário de solicitação de código ISSN devidamente preenchido
- Exemplar do primeiro número da publicação e do número mais recente, ou cópia das seguintes partes:
- Capa
- Folha de rosto
- Expediente
- Sumário
- Editorial ou apresentação
- Um artigo


3 - Publicação em CD-ROM

- Formulário de solicitação de código ISSN devidamente preenchido
- Capa do CD-ROM (prova definitiva);
- Rótulo do CD-ROM (prova definitiva);
- Impressão da tela de abertura da publicação no CD-ROM.
 

4 - Publicação Eletrônica

Mudanças nas práticas editoriais ligadas ao desenvolvimento da Internet levaram o ISSN a evoluir e expandir o seu âmbito de aplicação.

Formulário de solicitação de código ISSN devidamente preenchido

Impressão das primeiras telas onde o título e a designação numérica e/ou cronológica apareçam;

Impressão das telas de expediente e sumário.

Obs: O ISSN somente será atribuído às publicações online que já estejam disponíveis na internet (1º volume completo).

A página principal da publicação online deverá conter links para:

- Apresentação
- Corpo editorial
- Normas para publicação
- Endereço de contato
- Edição atual
- Edições anteriores

Solicitação do ISSN

O uso do ISSN não é obrigatório, mas certamente garante ao editor uma visibilidade qualificada ao seu produto. Entretanto, antes de solicitar o ISSN ao Centro Brasileiro do ISSN, é importante observar:

Um ISSN é intransferível, ou seja, ele nunca pode ser utilizado por outro título, sendo exclusivo do título ao qual foi atribuído.

Qualquer mudança no título do periódico que já teve atribuído o número de ISSN deve ser informada à Supervisão do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBI) do Instituto Federal Goiano, para que o mesmo comunique ao Centro Brasileiro do ISSN (CBISSN), órgão esse que irá avaliar a necessidade ou não de atribuição de novo ISSN ao periódico.

Cada versão em meio físico deve ter seu próprio ISSN. Caso a publicação tenha outras versões em diferentes idiomas, cada uma delas deve ter seu próprio ISSN. O ISSN somente será atribuído a publicações online que tenham seu primeiro fascículo já disponível na Internet. Essa observação também vale para os artigos.

O ISSN é atribuído também a anais de congressos, seminários, encontros etc, mas nunca é atribuído a páginas ou a outras peças promocionais de eventos, mesmo que sejam eventos científicos. Portanto, folders, cartazes, hotsites e blogs não recebem ISSN.

Antes de efetuar o pagamento das taxas administrativas, é preciso verificar se a editora/autor corporativo já possui um cadastro no Centro Brasileiro do ISSN.

Dos prazos para solicitação e atribuição do ISSN:

1) Recomenda-se realizara solicitação de ISSN com antecedência. No caso de anais de eventos, é recomendável realizar a solicitação com, no mínimo vinte (20) dias de antecedência do evento. Para que  possam ser feitas correções, caso surgirem;

2) O prazo para atribuição do ISSN é de cinco (05) dias úteis após o recebimento da documentação exigida no CBISSN;

3) Assim que o CBISSN informar o número, os responsáveis pela publicação serão imediatamente comunicados de como proceder para inserir o ISSN em suas publicações

Como solicitar o ISSN:

A solicitação do ISSN deverá ser feita pelo seguinte e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Quaisquer dúvidas a respeito do ISSN poderão ser feitas nos itens listados acima e por telefone: (62) 99228-7062

Para conhecer mais sobre o ISSN acesse: http://cbissn.ibict.br/

 

Fim do conteúdo da página