A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

Estudantes são finalistas em programa para startups

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Segunda, 20 de Agosto de 2018, 19h20 | Última atualização em Terça, 28 de Agosto de 2018, 16h43 | Acessos: 217

Ideia de negócio das estudantes do IF Goiano chegou à final do InovAtiva Brasil, programa de aceleração de negócios. Projeto foi desenvolvido no Polo de Inovação.

Grupo é formado pelas estudantes Adeliane Ferreira, Franciely Abrenhosa e Suellen Polyana
imagem sem descrição.

Orientadas pelo professor Alaerson Maia Geraldine, do Polo de Inovação, três estudantes do IF Goiano desenvolveram um produto de controle biológico de doenças de plantas, que pode reduzir o uso de defensivos agrícolas e, com isso, diminuir custos e impactos ambientais da agricultura. O grupo é formado pelas estudantes Adeliane Ferreira Braga e Franciely Abrenhosa, da graduação em Agronomia, e Suellen Polyana, do mestrado em Ciências Agrárias, todas do Campus Rio Verde.

A solução desenvolvida pelo grupo passou por três etapas eliminatórias do InovAtiva Brasil, programa gratuito de aceleração de startups e, entre mais de 1.300 inscritas, foi uma das 100 melhores ideias de negócios inovadores do país. Ao longo da participação neste programa, as estudantes tiveram acesso a mentorias e participaram de cursos de capacitação online. Como finalistas, participaram ainda da etapa presencial do programa, realizada em São Paulo nos dias 18, 19 e 20 de agosto. Nesta última fase, tiveram uma preparação intensiva com mentorias individuais, treinamentos, oficinas temáticas e simulação de “pitch”. Ao final, apresentaram suas soluções para investidores e empreendedores.

Adeliane, uma das integrantes do grupo, comentou que o contato com pessoas capacitadas e experientes ajudou principalmente a encontrar meios para escalar e monetizar o negócio. "A InovAtiva nos permitiu realizar modelagem financeira, de negócios, pensar maneiras para levar nosso produto a outros locais, atender maiores demandas e, com isso, ganhar mercado", explicou.

O professor Alaerson, que participa tanto do desenvolvimento do produto quanto da formulação do modelo de negócios, aposta no sucesso da ideia. “O produto desenvolvido pela equipe atende uma tendência do mercado, que é de ampliação do uso de tecnologias mais sustentáveis na agricultura, escaláveis e com custo reduzido“, analisou. Alaerson, que também é diretor do Polo de Inovação, lembrou ainda que as estudantes participam ativamente dos projetos desenvolvidos pela unidade, o que representa um diferencial em sua formação. "O contato com projetos de pesquisa e inovação permite ampliar os horizontes das estudantes que, futuramente, podem vir a se tornar parceiras do Polo de Inovação", concluiu.

Assessoria de Comunicação do Polo de Inovação

Fim do conteúdo da página