A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

PUC Goiás recebe programa do Conselho Britânico

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Quinta, 11 de Fevereiro de 2016, 15h09 | Última atualização em Quinta, 31 de Março de 2016, 22h54 | Acessos: 828

A PUC Goiás sedia de hoje, 31, a 2 de setembro, o Research Connect, worksop ministrado pelo Conselho Britânico, com intuito de ampliar o desenvolvimento profissional de pesquisadores e desenvolver habilidades de comunicação científica, visando melhorar a capacidade de captação de recursos dos pesquisadores.

 

A universidade conquistou o direito de receber o curso mediante edital realizado pela em conjunto com o British Council, o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) e deu oportunidade a outras instituições de Goiás, como a Universidade Estadual de Goiás, Instituto Federal Goiano e Instituto Federal de Goiás. “É postura solidária de compartilhar o bem recebido”, afirma a pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, Milca Severino.

O workshop é instruído pelos professores doutores Daniela Bultoc e Adriano Cavalleri, que realizam, de modo interativo, atividades que buscam melhorar o desempenho dos pesquisadores, desde o resumo até apresentação de trabalhos científicos em língua inglesa. Com duração de três dias, os 20 participantes selecionados tiveram como pré-requisitos para seleção: domínio da língua inglesa e ser professor em pós-graduação scrito sensu.

De acordo com Camila Morsch, o programa também objetiva melhorar o acesso dos pesquisadores e dá prioridade a projetos vinculados a projetos sociais. Professora na Escola de Formação de Professores e Humanidades, Claúdia Valente Cavalcante ressaltou a importância do curso. “Em geral, torna-nos mais capacitados como pesquisadores, para escrever artigos em língua inglesa e conhecer melhor as demandas”.

Fonte: PUC-Goiás

Fim do conteúdo da página