Teste de germinação de sementes de urucum (Bixa Orellana L.)

Authors

  • Roberta Leopoldo Ferreira Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"- ESALQ
  • Ana Dionisia da Luz Coelho Novembre Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - ESALQ

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i3.107

Abstract

O estudo de uma espécie multiplicada por semente deveria, inicialmente, estabelecer as condições para a germinação, pois, geralmente, a avaliação da qualidade da semente baseia-se nesse processo. O objetivo da pesquisa foi avaliar a temperatura e o substrato para o teste de germinação das sementes de urucum (Bixa orellana L.). As sementes de urucum foram representadas por quatro acessos genéticos, mantidos pelo IAC, Campinas, SP, e por três lotes. Inicialmente, foram avaliados, em mesa termogradiente, 11 intervalos de temperaturas entre 15°C e 35°C, com oito horas de fotoperíodo diário. A seguir, utilizando a temperatura de 30°C, em germinador, com oito horas de fotoperíodo diário, foram testados os substratos papel (sobre papel e rolo de papel) e vermiculita (entre vermiculita). As sementes e as plântulas foram avaliadas diariamente e calculados a porcentagem e o índice de velocidade de germinação. O intervalo de temperatura, favorável para a germinação das sementes de urucum, é o entre 29,5oC e 31oC e o substrato ideal é o papel (entre papel).

Author Biographies

Roberta Leopoldo Ferreira, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"- ESALQ

Departamento de Produção Vegetal, no Programa da Fitotecnia, área Tecnologia de Sementes.

Ana Dionisia da Luz Coelho Novembre, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - ESALQ

Departamento de Produção Vegetal, no Programa da Fitotecnia, área Tecnologia de Sementes.

References

Brasil, Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. (2009). Regras para análise de sementes. Brasília: SNDA/DNDV/CLAV.

Brasil, Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. (2013) Instruções para análise de sementes de espécies florestais, Brasília: SNDA/DNDV/CLAV.

Bewley, J. D., & Black, M. (1994). Seeds physiology of development and germination. New York: Plenum Press.

Brancalion, P. H. S., Novembre, A. D. L. C, & Rodrigues, R. R. (2010). Temperatura ótima de germinação de sementes de espécies arbóreas brasileiras. Revista Brasileira de Sementes, 32(4), 15-21.

Carvalho, N. M., & Nakagawa, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. (2000). Jaboticabal: FUNEP.

Feldmann, F., Idczak, E., Martins, G., Nunes, J., Gasparotto, L, Prei-Singer, H., Moraes, V. H. F., & Lieberei, R. (1995). Recultivation of degraded, fallow lying areas in central Amazonia with equilibrated polycultures: response of useful plants to inoculation with VA-mycorrhizal fungi. Angewandte Botanik, 69(3-4), 111-118.

Figliola, M. B., Oliveira, E. C., & Piña-Rodrigues, F. C. M. (1993). Análise de sementes. In: Aguiar, I. B., Piña-Rodrigues, F. C. M.; Figliola, M. B. (eds.). Sementes Florestais Tropicais (pp. 137-174). Brasília: ABRATES.

Gomes, S. M. S., & Bruno, R. L. A. (1992). Influência da temperatura e substratos na germinação de sementes de urucum (Bixa Orellana L.). Revista Brasileira de Sementes, 14(1), 47-50.

Hartmann, H. T., Kester, D. E., & Davies Junior, F. T. (1990). Plant propagation: principles and practices. New Jersey: Prentice-Hall International.

Lima, J. D., Almeida, C. C., Dantas, A. V., Silva, B. M., & Moraes, W. S. (2006). Efeito da temperatura e do substrato na germinação de sementes de Caesalpiniae ferrea Mart. ex Tul. (Leguminosae, Caesalpinioidae). Revista Árvore, 30(4), 513-518.

Lopes, J. C., Capucho, M. T., Martins Filho, S., & Repossi, P. A. Influência de temperatura, substrato e luz na germinação de sementes de bertalha. (2005). Revista Brasileira de Sementes, 27(2), 18-24.

Maguire, J. D. (1962). Speed of germination-aid in relation evaluation for seedling emergence vigor, Crop Science, 2(2), 176-177.

Mayer, A. C., & Poljakoff-Mayber, A. (1989). The germination of seeds. London: PergamonPress.

Mondo, V. H. V., Brancalion, P. H. S., Cicero, S. M., Novembre, A. D. L. C., & Dourado Neto, D. (2008). Teste de germinação de sementes de Parapiptadenia rigida (Benth.) Brenan (Fabaceae). Revista Brasileira de Sementes, 30(2), 177-183.

Novembre, A. D. L. C., Faria, T. C., Pinto, D. H. V., & Chamma, H. M. C. P. (2007). Teste de germinação de sementes de sansão-do-campo (Mimosa Caesalpiniaefolia Benth. – Fabaceae-mimosoideae). Revista Brasileira de Sementes, 29(3), 47-51.

Pereira, T. S. (1995). Caracterização de plântulas de Bixa orellana L, – Urucu (Bixaceae), Revista Brasileira de Sementes, 17(2), 234-248.

Pereira, M. I., Zanon, A., & Scheffer, M. C. (1995). Germinação de sementes de guaco – Mimosa glomerata Spreng, (Asteraceae), Horticultura Brasileira, 13(1), 104.

Picolotto, D. R. N., Theodoro, J. V. C., Dias, A. R., Theodoro, G. F., & Alves, C. Z. (2013). Germinação de sementes de urucum em função de métodos de superação de dormência e temperaturas, Pesquisa Agropecuária Tropical, 43(3), 232-238.

Ramalho, R. S., Pinheiro, A. L., & Diniz, G. S. (1988). Urucum: planta rústica e de alto rendimento. Rio de Janeiro: A Lavoura.

Souza, E. B., Pacheco, M. V., Matos, V. P., & Ferreira, R. L. C. (2007). Germinação de sementes de Adenanthera pavonina L. em função de diferentes temperaturas e substratos. Revista Árvore, 31(3), 437-443.

Varela, V. P., Costa, S. S., & Ramos, M. B. P. Influência da temperatura e do substrato na germinação de sementes de itaubarana (Acosmium nitens (Vog.) Yakovlev) - Leguminosae, Caesalpinoideae. (2005). Acta Amazonica, 35(1), 35-39.

Zonta, E. P., & Machado, A. A. (1984). Sistema de análise estatística para microcomputadores-SANEST, Pelotas.

Published

2018-03-18

How to Cite

Ferreira, R. L., & Novembre, A. D. da L. C. (2018). Teste de germinação de sementes de urucum (Bixa Orellana L.). Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(3), 46-52. https://doi.org/10.33837/msj.v1i3.107

Issue

Section

Technical Communications