A tecitura das produções subjetivas implicadas no fracasso escolar e a problematização da psicologia na escola

Authors

  • Valéria Deusdará Mori Centro Universitário de Brasília. Campus da Asa Norte: SEPN 707/907. Campus Universitário. Brasília, DF.
  • Vitor Pedro Moretto Cordeiro Centro Universitário de Brasília, Brasil. Campus da Asa Norte: SEPN 707/907. Campus Universitário. Brasília, DF.
  • Luciana de Oliveira Campolina Centro Universitário de Brasília, Brasil. Campus da Asa Norte: SEPN 707/907. Campus Universitário. Brasília, DF. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v3i2.1261

Keywords:

Subjetividade, Fracasso escolar, Diagnóstico, Psicologia na escola, Singularidade

Abstract

A presente pesquisa investigou diferentes processos subjetivos que se configuram no fracasso escolar, bem como problematizou o papel da psicologia na escola. A Teoria cultural-histórica da Subjetividade foi a perspectiva norteadora da pesquisa e subsidiou discussões e reflexões sobre a temática. A pesquisa foi realizada a partir da Epistemologia Qualitativa e do método construtivo interpretativo, baseando-se em um estudo de caso com um estudante e protagonizado também pela psicóloga escolar e a diretora da escola. As informações e indicadores construídos na pesquisa evidenciam como a visão acerca do diagnóstico do aluno universaliza processos que são singulares e acaba por justificar o processo que configura de forma complexa o fracasso escolar. Além disso, a lógica padronizada pautada pelo diagnóstico no processo de compreensão dos estudantes que apresentam dificuldades no processo de aprender desencadeia dinâmicas patologizantes eaumenta o risco de fracasso e evasão escolar.

Author Biographies

Valéria Deusdará Mori, Centro Universitário de Brasília. Campus da Asa Norte: SEPN 707/907. Campus Universitário. Brasília, DF.

Doutorado em Psicologia pela Universidade de São Carlos da Guatemala, Guatemala (2009). Departamento de Psicologia do Centro Universitário de Brasília.

Vitor Pedro Moretto Cordeiro, Centro Universitário de Brasília, Brasil. Campus da Asa Norte: SEPN 707/907. Campus Universitário. Brasília, DF.

Graduado em Psicologia pelo Centro Universitário de Brasília.

Luciana de Oliveira Campolina, Centro Universitário de Brasília, Brasil. Campus da Asa Norte: SEPN 707/907. Campus Universitário. Brasília, DF. Brasil.

Doutora em Educação pela Universidade de Brasília - UnB, com período de doutorado em sanduíche na Faculdade de Psicologia da Universidade de Buenos Aires. Professor assistente do Curso de Psicologia do Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), colaborador do curso de Mestrado em Psicologia, Linha de Pesquisa em Psicologia e Educação. Realize pesquisas sobre inovação educacional, desenvolvimento humano, subjetividade e teoria histórico-cultural. Possui mestrado em Psicologia na área de Desenvolvimento Humano em Contexto Sociocultural (2007) pela UnB e graduação em Psicologia (2000) por essa mesma universidade. Ele atua como professor de magistério superior no campo da psicologia escolar, do desenvolvimento humano e da pesquisa qualitativa.Tem experiência na área de Psicologia e Educação,

References

Arroyo, M. G. (2008). Fracasso-sucesso: o peso da cultura escolar e do ordenamento de educação básica. Brasília: Em Aberto.

Benevides, R., & Passos, E. (2005). Humanização na saúde: um novo modismo? Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 9(17), 389-406.

Campolina, L. de O, Mitjáns Martínez, A. (2013). A escola na sua dimensão reprodutiva: possibilidades e limites da inovação na Educação. In: E. Tunes (org) Sem escola, sem documento. Rio de Janeiro: E- papers.

Campolina, L. O., & Oliveira, M. C. (2012). Aspectos semióticos da transição infância-adolescência: o contexto da escola. Psicologia Argumento, 30 (70), 537-546.

Esteban, M. T. (2009). Avaliação e fracasso escolar: questões para debate sobre a democratização da escola. Revista Lusófona de Educação, (13), 123-134.

European Commission. (2011). Tackling early school leaving: A key contribution to the Europe 2020 Agenda. Brussels, Belgium: Author.

Gallert, A. Z., Loureiro, D. G., Silva, M. D., & Souza, R. C. (2011). Subjetividade na pesquisa qualitativa: uma aproximação da produção teórica de González Rey. Brasília, DF, Brasil.

González Rey, L. F. (2003). Sujeito e subjetividade: uma aproximação histórico-cultural. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

González Rey, L. F. (2005). Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Cengage Learning.

González Rey, F., Mitjáns Martínez, A. (2016). Una epistemología para el estudio de la subjetividad: Sus implicaciones metodológicas. Psicoperspectivas, 15(1), 5-16.

González Rey, F., Mitjáns Martínez, A. (2017). Subjetividade: teoria, epistemologia e método. Campinas: Alínea

Governo do Distrito Federal. (2010). Orientação Pedagógica: Serviço Especializado de Apoio à Aprendizagem. Brasília: SEDF.

Heckert, A. L., & de Barros, M. B. (2007). Fracasso escolar: do que se trata? Psicologia e educação, debates “possíveis”. Periódicos Eletrônicos em Psicologia, (25), 109-122.

Illich, I. (1975). Expropriação da Saúde - Nêmesis da Medicina. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Leon, F. L., & Menezes-Filho, N. A. (2002). Reprovação, avanço e evasão escolar no Brasil. Pesquisa e planejamento econômico, 32(3), 417- 452.

Mijtáns Martinéz, A., & González Rey, F. L. (2017). Psicologia, Educação e Aprendizagem Escolar: avançando na contribuição da leitura cultural-histórica. São Paulo: Cortez.

Meira, M. E., & Antunes, M. A. (2003). Psicologia escolar: práticas críticas. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Moysés, M. A., & Collares, C. A. (1997). Inteligência abstraída, crianças silenciadas: as avaliações de inteligência. Psicologia USP, 8(1), 63-89.

Mundim, J. de F. (2017). A crise da educação contemporânea e a escola: o que paira sobre o chão que pisamos?. Tese de Doutorado). Universidade de Brasília, Brasil.

Patto, M. H. (2010). A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Paulilo, A. L. (2017). A compreensão histórica do fracasso escolar no Brasil. Cadernos de Pesquisa, 47(166), 1252-1267.

Pezzi, F. A. S., Donelli, T. M. S., & Marin, A. H. (2016). School Failure in the Perception of Adolescents, Parents and Teachers. Psico-USF, 21(2), 319-330.

Raad, I. L. F. (2007). Deficiência como iatrogênese: a medicina, a família e a escola como cúmplices no processo de adoecimento. Dissertação (Mestrado em Educação). 83 p. Universidade de Brasília, Brasília.

Ribeiro, S. C. (1991). A pedagogia da repetência. Estudos Avançados, 5(12), 7-21.

Souza, J. M. (2017). Escola! Cuidado crianças: o cotidiano escolar e as (im)possibilidades de educação libertadora (Tese de doutorado). Universidade de Brasília, Brasil.

Vázquez-Recio, R. & López-Gil, M. (2018). Interseccionalidad, jóvenes “si sistema” y resistencia. Una mirada diferente del fracaso/abandono escolar. Revista Brasileira de Educação, 23, e230094.

Published

2020-07-22

How to Cite

Mori, V. D., Cordeiro, V. P. M., & Campolina, L. de O. (2020). A tecitura das produções subjetivas implicadas no fracasso escolar e a problematização da psicologia na escola. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 3(2), 3-11. https://doi.org/10.33837/msj.v3i2.1261