O ATENDIMENTO À SAÚDE COMO BENEFÍCIO, A JUSTIÇA E O BRASIL

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i7.182

Keywords:

saúde, justiça social, cidadania, teorias da justiça, John Rawls

Abstract

Neste artigo, pretende-se desenvolver uma análise filosófica sobre a noção de saúde como um tipo de benefício e sua fundamentação enquanto direito, relacionando questões que envolvem justiça distributiva, o benefício da assistência à saúde e a racionalização de recursos. Para isso, parte-se da proposta de Beaucham & Childress (2002) de organizar o sistema de saúde em dois níveis: o nível da cobertura social obrigatória e básica (público, fundamentado enquanto direito), e o nível opcional e não básico (que é privado e eventualmente estendido àqueles que não possuem recursos por motivos de beneficência ou caridade). Essa proposta leva em consideração o horizonte político dos Estados Unidos num período em que o direito de assistência à saúde.

No Brasil há um sistema de saúde com mais de 20 anos de existência oferecendo serviços de assistência à saúde de modo universal e gratuito, fazendo do país um membro do seleto grupo de países que dispõem de um sistema público e universal de saúde. Entretanto, o SUS – Sistema Único de Saúde – ainda enfrenta desafios para seu funcionamento pleno, dentre eles o desafio da escassez de recursos. Acredita-se que as discussões dos filósofos estadunidenses quanto a fundamentação de um direito à assistência a saúde, guardadas as devidas proporções, podem servir de instrumentos para a discussão sobre o serviço de saúde no Brasil. Essas discussões também foram empreendidas por Norman Daniels (1985; 2002; 2007) e outros, que examinam a assistência à saúde e o que ela é capaz de fazer pelas pessoas principalmente do ponto de vista da igualdade de oportunidades. Acredita-se que elas podem oferecem uma perspectiva acerca de como promover a saúde de modo mais eficiente e justo num sistema de saúde universal e gratuito que enfrenta a escassez de recursos.

Author Biography

Jorge Armindo Sell, UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós Graduação em Filosofia da UFSC. Área de concentração: Ética e Filosofia Política. Pesquisa foca em temas como democracia e justiça.

References

BAHIA. Ligia. Financiar o SUS universal sem tergiversar, In, Le Monde Diplomatique Brasil, 01 de Outubro de 2011. Disponível em: http://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1023. Acesso em: 20/11/2012.

BEGOUCI, Leandro. Ponto de Vista: Brasília? Itaipu? Não. SUS é a maior obra da história do Brasil, In: BBC Brasil (site de notícias), 2016. Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160128_ponto_de_vista_sus_pai_lb. Acesso em 04/02/2016.

BRASIL. Lei Federal nº 8.080, de 19/09/1990 - Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Dsiponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm. Acesso em 10/11/2012.

_______. Lei Federal nº 8.142, de 28/12/1990 - Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8142.htm. Acesso em 11/11/2012.

BEAUCHAMP, Tom; CHILDRESS, James. Princípios de Ética Biomédica. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

DANIELS, Norman. Just Health Care. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.

______; SABIN, James E. Setting Limits Fairly: Can We Learn to Share Medical Resources. Oxford: Oxford University Press, 2002.

______. Just Health: Meeting Health Needs Fairly. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

DRANE, James F. Equality and justice in medicine: a paradigm of Uncertainty, In: Bioethikos, 2009, vol. 3 p 33-40.

MELLO, Patrícia Campos. Entenda: Sistema de saúde dos EUA exclui 46 milhões, in; O Estado de São Paulo, 9 de Setembro de 2009. Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,entenda-sistema-de-saude-dos-eua-exclui-46-milhoes,431943,0.htm. Acesso em 15/11/2012.

RAWLS, John. Uma Teoria da Justiça. Edição revista, trad. Jussara Simões, rev. trad. Álvaro de Vita, 3ª ed. Coleção Justiça e Direito. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

______. O liberalismo Político. Trad. Álvaro de Vita. Ed. ampliada. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

SEN, Amartya K. Desigualdade Reexaminada. Trad. Ricardo Doninelli Pires. São Paulo: Editora Record, 2001.

______. Why Health Equality?, In: Health Economics, nº 11, 2002, p 659-66.

Published

2018-03-18

How to Cite

Sell, J. A. (2018). O ATENDIMENTO À SAÚDE COMO BENEFÍCIO, A JUSTIÇA E O BRASIL. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(7), 96-102. https://doi.org/10.33837/msj.v1i7.182

Issue

Section

Technical Communications