Sobre a questão do método de redução fenomenológica em Heidegger

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i7.196

Keywords:

Fenomenologia. Ontologia. Redução. Heidegger. Husserl.

Abstract

O presente artigo propõe examinar a questão do método fenomenológico adotado por Heidegger em Ser e Tempo. Nesta acepção, irá tentar-se explicitar o modo como a investigação de Heidegger se articula em torno da pergunta sobre o sentido do ser em estreita conexão com a ideia de fenomenologia legada por Husserl. Começamos, portanto, de uma leitura que visa abranger a hermenêutica e a analítica existencial para entender como Heidegger repete e reelabora a interrogação ontológica a partir do conceito de método husserliano. Heidegger assume que a ontologia só é possível como fenomenologia. Em que medida, porém, ele se apoia nas aquisições teóricas de Husserl ao admitir tal? É possível dizer que ele faz recurso à épochè e à redução fenomenológica no seu esforço de retomar a investigação sobre o ser? É verdade que Heidegger rejeita o viés teórico e intelectualista que Husserl concede à redução? Na tentativa de responder tais questões, a opção deste trabalho é consultar as seções sobre método delineadas ao longo de Ser e Tempo, analisando as mudanças que Heidegger efetua na fenomenologia transcendental a fim de conciliá-la com o seu projeto de constituição de uma ontologia fenomenológica.  

Author Biography

Marcelo Rosa Vieira, Universidade Federal de Uberlândia

Licenciado em Pedagogia, 2012, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestrando em Filosofia, Universidade Federal de Uberlândia

References

COURTINE, Jean-François. Heidegger et la phénoménologie. Paris: J. Vrin, 1990.

GREISCH, Jean. Ontologie et temporalité: esquisse d'une interprétation intégrale de Sein und Zeit. Paris: Presses Universitaires de France, 1994.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Tradução de Fausto Castilho. Campinas, SP: Editora da Unicamp; Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

_________________. The basic problems of Phenomenology. Translation by Albert Hofstadter. Bloomington: Indiana University Press, 1982.

HUSSERL, Edmund. Idées directrices pour une phénoménologie. Traduit de l’Allemand par Paul Ricoeur. Paris: Éditions Gallimard, 1950.

__________________. Méditations Cartésiennes. Traduit par Gabrielle Pfeiffer et Emmanuel Lévinas. Paris: Librairie Philosophique J.Vrin, 1953.

ZUBEN, Newton Aquiles von. A Fenomenologia como retorno à ontologia em Martin Heidegger. Trans/Form/Ação [online]. 2011, vol.34, n.2.

Published

2018-03-18

How to Cite

Vieira, M. R. (2018). Sobre a questão do método de redução fenomenológica em Heidegger. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(7), 64-78. https://doi.org/10.33837/msj.v1i7.196

Issue

Section

Technical Communications