A indiferença é um grau de liberdade

Authors

  • Suellen Caroline Teixeira Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i1.53

Abstract

Apresenta-se aqui uma explanação cartesiana sobre o tema da indiferença abarcando a liberdade humana. As teses que tentam explicar o termo são expostas em duas cartas de Descartes a Mesland, de 2 de maio de 1644 e 9 de fevereiro de 1645, cujas traduções estão anexadas ao trabalho, pois são fundamentais para a elaboração do problema. O tema, por sua vez, suscita grandes questões como o papel da vontade; a importância da luz natural, que ilumina a razão e permite ao homem escolhas consolidadas pela evidência (clareza e distinção), o que o leva em direção ao verdadeiro e bom. Por isso, afirmamos que a indiferença, para o homem, deve ser entendida em dois sentidos, um negativo e outro positivo. No sentido negativo trata-se da pouca motivação da vontade (quando a evidência não é clara). No sentido positivo é exatamente o poder da faculdade de escolha de se determinar, como no caso em que a razão propende para um lado e a vontade pode escolher o contrário. O objetivo principal do artigo é proporcionar aos estudiosos cartesianos uma pesquisa sobre o tema aberto a discussões – a indiferença – e, com a tradução, disponibilizar material para a pesquisa no Brasil.

 

Palavras-chave: Indiferença, Descartes, Mesland, Vontade.  

Author Biography

Suellen Caroline Teixeira, Universidade Federal de Uberlândia

Possui o título de mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU (2014) e também graduação em Filosofia pela mesma universidade (2012), especialização em Ciências da Religião pela Faculdade Católica de Uberlândia (2013), especialização em Filosofia Clínica pelo Instituto Packter (2012).

References

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

CONTTINGHAM, John. Dicionário Descartes. Tradução de Helena Martins. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

DESCARTES, René. Oevres et Lettes. Textes présentés par André Bridoux. Paris: Gallimard, 1953.

____. Meditações sobre Filosofia Primeira. Tradução de Fausto Castilho. Campinas: Editora da UNICAMP, 2008.

_____. Oevres de Descartes, 11 vols. Publiées par Charles Adam et Paul Tannery. Paris: Vrin, 1996a.

KOYRÉ, Alexandre. Essai sur l’idée de Dieu et les preuves de son existence chez Descartes. Paris: Éditions Ernest Leroux, 1987.

ROCHA, E. M. Infinitude da Vontade no Homem e em Deus segundo Descartes. Analytica, v. 15, n. 1p.137/2011.

SOARES, A. G. T. O Filosofo e o Autor. Campinas: Editora da UNICAMP, 2008.

Published

2018-03-18

How to Cite

Teixeira, S. C. (2018). A indiferença é um grau de liberdade. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(1), 22-29. https://doi.org/10.33837/msj.v1i1.53

Issue

Section

Human and Social Sciences