PRODUÇÃO E AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DOS VINHOS (FERMENTADOS) SECO E SUAVE A PARTIR DO ARAÇÁ-BOI (Eugenia Stipitata McVaugh)

Daniella da Silva Sousa, José Antonio Avelar Baptista, Renato André Zan

Resumo


Uma das atividades mais antigas que esteve presente na vida do homem desde as primeiras civilizações é a produção e o consumo de bebidas alcoólicas. O vinho se define por uma bebida alcoólica resultante da fermentação do mosto (sumo do fruto antes de terminada a fermentação) simples da uva – Vitis vinifera - sã, fresca e madura. Alguns autores afirmam que este nome “vinho” seja apenas usado para bebida proveniente da uva, pois seu nome científico traduzido do latim significa videira. De acordo com a legislação, Decreto-Lei N. 2.499/38 Cap. VI, os produtos obtidos pela fermentação alcoólica de frutas frescas, maduras, é permitido o nome de vinho, seguido da declaração expressa de sua natureza, no rótulo, em caracteres nítidos e de igual tamanho. Ex.: vinho de laranja. Uma vez que as indústrias de bebidas têm voltado a busca de novos produtos para a diversificação de seus comércios, esta pesquisa se justifica por buscar nova possibilidade de produção de vinho através de frutas nativas da região amazônica, desenvolvendo novos produtos e possibilitando dar um direcionamento a frutas que muitas vezes são pouco conhecidas e pouco comercializadas na própria região, propondo então, uma nova possibilidade de renda para pequenos agricultores da região. O principal objetivo é produzir vinho a partir do araçá-boi (Eugenia stipitata McVaugh), fruta típica da Região Amazônica e avaliar algumas características físico-químicas como: pH, grau ºBrix, densidade, acidez. Após o processo fermentativo e as análises mostraram que os vinhos seco e suave de araça-boi apresentaram qualidades comparáveis a outros vinhos de frutas produzidos.

Palavras-chave


Araçá-boi, físico-química, fermentação alcoólica, região amazônica

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. B. et al. Fermentação Alcoólica e Caracterização de Fermentado de

Morango. BBR – Biochemistry and Biotechnology Reports - ISSN 2316-5200

Número Especial v. 2, n. 3, p. 265-268, 2013.

ARRUDA, A. R. et al. Processamento de bebida fermentada de banana. Revista Ciência Agronômica, Vol. 34, N.2 - 2003: 161 – 167

ASQUIERI, E. R., et al. Aguardente de jabuticaba obtida da casca e borra da fabricação de fermentado de jabuticaba. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 29(4): 896-904, out.-dez. 2009. ISSN 0101-2061

BRASIL, Decreto nº 2314. Dispõe sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção, a produção e a fiscalização de bebidas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 1997.

FERREIRA, J. Trabalho de Química Sobre Fermentação. Colégio Estadual Senhor do Bonfim. 2007. Disponível em: http://julia3mcesb.blogspot.com.br/. Acesso dia: 26 dez. 2017.

HOMEM, C. L. G.; COSTA, J. R. C.; PINHEIRO, I. R.; "Estudo da Fermentação Alcoólica do Hidrolisado de Bagaço de Laranja por Saccharomyces cerevisiae", p. 64-67. In:. São Paulo: Blucher, 2017. ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/SEQUFES2016-015.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ (São Paulo). Métodos físico-químicos para análise de alimentos /coordenadores Odair Zenebon, Neus Sadocco Pascuet e Paulo Tiglea -- São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2008.

RIZZON, L. A.; MIELE, A. Avaliação da cv.cabernet sauvignon para elaboração de vinho tinto. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 22, n. 2, p. 192-198, 2002.

SILVA, M. B. L.et al. Alim. Nutr. 2009, 20, 217 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v1i13.594

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo