AGROECOLOGIA E AGRICULTURA ECOLÓGICA COMO PILAR DE SUSTENTAÇÃO DA AGRICULTURA CAMPONESA

Matheus Vinicius Abadia Ventura, Marcio Moacir Bessa, Lucas da Silva Alves, Patricia Carolline dos Santos Chagas, Estevam Matheus Costa, Bruno Henrique Tondato Arantes

Abstract


O presente artigo pretende estudar o contexto histórico do surgimento da agricultura industrializada mostrando suas formas de degradação que acompanham a industrialização levando a acontecimentos característicos do processo de globalização e sua articulação com o neoliberalismo econômico no contexto de sociedade de risco no presente da era informacional e capitalista. Assim, uma vez estabelecidas as novas formas de degradação, dos recursos naturais além do histórico e mecanismos operacionais sociais passou a caracterizar a Agroecologia, o papel representado na economia e de sua soberania na produção de alimentos de qualidade. Apresenta-se então, agroecologia e agricultura como uma resposta à deterioração que a industrialização vem provocando na natureza, em decorrência da má utilização dos recursos naturais, o que gera consequências desastrosas tanto na natureza quanto na sociedade. A existência da prática de experiências agroecológicas na natureza possibilita a preservação dos recursos naturais, e age como pilar de sustento da agricultura camponesa e participa ativamente da articulação com os movimentos sociais da terra, que organizam o neoliberalismo em união à globalização.


Keywords


Agroecologia, ecologia política, novos movimentos sociais rurais.

References


ALMEIDA, J. A. problemática do desenvolvimento sustentável. In: BECKER, D. F. (Org.). Desenvolvimento sustentável: necessidade e/ou possibilidade. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 1997. p. 17-26.

ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1998.

BARRERA, A. - Nuevas realidades, nuevos paradigmas: la nueva revolución agrícola. In: COMUNIICA, Janeiro – Julho, 2011, IICA - Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, 2011.

BESSA, M. M.; VENTURA, M. V. A.; ALVES, L. da S. Agroecologia, sustentabilidade e a necessidade dos movimentos agroecológicos se tornarem políticas públicas. Revista Desafios, v. 2, n. 2, p. 181-197, 2016.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia – processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2000. 653p.

GUZMÁN, E.; MOLIVA, M. Sobre a evolução do conceito de campesinato. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

HECHT, S. B. A evolução do pensamento agroecológico. In: ALTIERI, M. A. (ed.). Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: PTA/FASE, 1989. p.25-41.

WANDERLEY, M. de N. B. Raízes Históricas do Campesinato Brasileiro. In: TEDESCO, João Carlos (org.). Agricultura Familiar - Realidades e Perspectivas. 2a. ed. Passo Fundo: EDIUPF, 1999. Cap. 1, p. 21-55.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v1i12.611

Refbacks

Comments on this article

View all comments




Copyright (c) 2018 Marcio Moacir Bessa, Matheus Vinicius Abadia Ventura, Lucas da Silva Alves, Patricia Carolline dos Santos Chags

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexed in:

          

A publication of the "Diretoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação", IFGoiano - Campus Urutaí

 

  

 Licença Creative Commons

License: Creative Commons - Attribution 4.0 International.