PLANILHA ELETRÔNICA PARA PLANEJAMENTO DE MANEJO DE IRRIGAÇÃO NA CULTURA DO TOMATE INDUSTRIAL EM GOIÁS

Raiane Ferreira Miranda, José Alves Júnior, Rangel Gonçalves Souza, Derblai Casaroli, Márcio Mesquita

Resumo


O valor de uma estação meteorológica automática, a falta de homogeneidade das leituras de tensiômetros e de sondas para a obtenção da umidade do solo, bem como a dificuldade de programação e utilização de planilhas eletrônicas, são fatores que inviabilizam a adoção de técnicas para o manejo adequado da irrigação pelos tomaticultores. Como exemplo, nota-se que nem mesmo o método simplificado de manejo proposto pela Embrapa tem sido utilizado. Assim, o objetivo deste estudo foi adaptar o método simplificado proposto pela Embrapa, para cultura do tomate industrial, em uma planilha eletrônica de fácil acesso, compreensão, manuseio e interpretação dos resultados. A planilha utiliza como dados de entrada: municípios goianos, híbridos de tomateiro, data de transplantio, textura do solo, umidade inicial do solo, lâmina bruta e tempo mínimos referente a uma volta do pivô-central na máxima velocidade. Os dados de saída são: calendário de dias irrigados e regulagens do percentímetro em cada fase do desenvolvimento do tomateiro. A planilha eletrônica mostrou-se uma ferramenta prática, precisa, de fácil interação com o usuário e encontra-se disponível em: https://vertra18.blogspot.com.br/.

Palavras-chave


Solanum lycopersicum; Aspersão; Cerrado; Manejo simplificado

Texto completo:

PDF

Referências


Alves Júnior., J., Sales, D. L. A., Pereira, R. M., Rodriguez, W. D. M., Casaroli, D. & Evangelista, A. W. P. (2015). Viabilidade econômica da irrigação por pivô central nas culturas de soja, milho e tomate, em diferentes demandas hídricas. Irriga, 3(1), 2970-2980.

Assunção, P. E. V., Spinelli, E. M. A. & Cardoso, J. S. Caracterização da produção de tomate-industrial no município de Morrinhos/GO: da utilização de defensivos à vantagem dos contratos. (2013). Teoria e Evidência Econômica, 19(4), 153-168.

Campagnol, R., Oviedo, V. R. S. C., Abrahão, C., Mello, C. C. & Minami, K. (2014). Impactos do nível de irrigação e da cobertura do solo na Cultura do tomateiro. Irriga, 19(3), 345-357.

HORTIFRUTI: Os desafios do tomate industrial no Brasil. Focorural, Campo Mourão, 11 dez. 2015. Disponível em: < http://www.focorural.com/detalhes/n/n/7102/17/Os_desafios_ do_tomate_industrial_no_Brasil.html >. Acesso em: 12 dez. 2015.

Maggi, C. F., Freitas, P. S. L., Sampaio, S. C. & Dieter, J. (2011). Lixiviação de nutrientes em solo cultivado com aplicação de água residuária de suinocultura. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 15(2), 170-177.

Marouelli, W. A., Silva, H. R. & Carvalho, W. L. S. Irrigação do tomateiro para processamento. Circular Técnica 102. Brasília, mar. 2012. 32 p.

Mauroelli, W. A., Silva, W. L. C. & Silva, H. R. (2008). Irrigação por aspersão em hortaliças: qualidade da água, aspectos do sistema e método prático de manejo. (2ªed). Brasília: Embrapa informação tecnológica.

Marouelli, W. A., Lopes, C. A. & Silva, W. L. C. (2005). Incidência de murcha-bacteriana em tomate para processamento industrial sob irrigação por gotejamento e aspersão. Horticultura Brasileira, 23(2), 320-323.

Marouelli, W. A., Silva, H. R. & Oliveira, C. A. S. (1991). Produção de tomate industrial sob diferentes regimes de umidade no solo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 26(9), 1531-1537.

Mendes, W. C., Alves Júnior, J., Cunha, P. C. R., Silva, A. R., Evangelista, A. W. P. & Casaroli, D. (2015). Lixiviação de nitrato em função de lâminas de irrigação em solos argiloso e arenoso. Irriga, Ed. especial (IRRIGA & INOVAGRI). p. 47-56.

Nascimento, P. S., Bassoi, L. H. & Paz, V. P. S. (2012). Planilha eletrônica para auxílio à tomada de decisão em manejo de irrigação. Irriga, 17(1), 1-15.

Prando, E. P., Vanzela, L. S., Sena, K. N. & Morais, G. (2015). Sistema Web de manejo da irrigação. Irriga, Ed. especial (Irriga & INOVAGRI), 121-1336.

Silva Júnior, A. R., Ribeiro, W. M., Nascimento. A. R. & Souza, C. B. (2015). Cultivo do tomate industrial no estado de Goiás: Evolução das áreas de plantio e produção. Conjuntura econômica Goiana: secretaria de gestão e planejamento do Estado de Goiás, 97-109.

Vilela, N. J., Melo, P. C. T., Boiteux, L. S. & Clemente, F. M. V. T. (2012). Perfil socioeconômico da cadeia agroindustrial no Brasil. In: Clemente, F. M. V. T., Boiteux, L. S. (editores técnicos). Produção de tomate para processamento industrial. Brasília: Embrapa, 17-27.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v2i2.636

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo