Medidas antropométricas e eficiência na colheita manual de citros

Diego Onofre Vidal, Ariel Muncio Compagnon, Rouverson Pereira da Silva, Marcelo Boamorte Raveli, Fábio Alexandre Cavichioli

Resumo


A seleção de frutos é de grande importância na colheita de citros e possui influência direta no valor final do produto colhido. No Brasil, a colheita mecanizada e semimecanizada de citros ainda são incipientes, sendo o método de colheita manual o mais utilizado, apesar de ser trabalhoso e de apresentar alto custo. O objetivo deste trabalho foi avaliar as possíveis correlações entre as medidas antropométricas de colhedores de citros e o tempo de colheita dos frutos nos diferentes terços das plantas. O trabalho foi realizado na Fazenda Cambuhy Agrícola LTDA, em Matão, SP. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 9x3, com quatro repetições. Os atributos antropométricos avaliados foram a altura do corpo, alcance da mão, alcance do braço e distância pé-patela. Foram adotados como tratamentos nove colhedores e três terços das plantas de laranja (terço inferior, médio e superior). As medidas antropométricas apresentaram correlação com os tempos de colheita para os terços médio e superior com a distância pé-patela e para o terço superior com a altura do corpo. O menor tempo de colheita foi observado para os frutos posicionados no terço médio da planta, enquanto que os tempos necessários para colher os terços inferior e superior foram semelhantes. O tempo gasto pelos colhedores do sexo masculino para colher o terço superior apresentou menor variação e foram menores que o tempo de colheita realizado pelas colhedoras.


Texto completo:

PDF

Referências


Abrahão, J.I. Reestruturação produtiva e variabilidade do trabalho: uma abordagem da ergonomia. (2000). Psicologia: Teoria e Pesquisa, 16(1), 49-54.

Barra, D.C.C.; Sasso, G.T.M.D. (2010). Tecnologia móvel à beira do leito: processo de enfermagem informatizado em terapia intensiva a partir da cipe 1.0®. Texto Contexto Enferm, 19(1), 54-63.

Fernandes, C.H.; Brito, A.B.; Santos, N.T.; Minette, L.J.; Rinaldi, P.C.N. (2009). Análise antropométrica de um grupo de operadores brasileiros de “feller-bruncher”. Scientia Forestalis, 37(81), 17-25.

Molin, J.P.; Mascarin, L.S. Colheita de citros e obtenção de dados para mapeamento da produtividade. (2007). Engenharia Agrícola, 27(1), 259-266.

Ribeiro, R.V.; Machado, E.C. (2007). Some aspects of citrus ecophysiology in subtropical climates: re-visiting photosynthesis under natural conditions. Brazilian Journal of Plant Physiology, 19(4), 393-411.

Rigolin, A.T.; Tersi, F.E.A. (2005). Mecanização em citros. In D D. M. MATTOS Junior; J. D. De Negri; R. M. Pio; J. P. Junior (Eds.) Citros (pp. 430-447). Campinas: Instituto Agronômico e Fundag.

Sanders, K.F. (2005). Orange Harvesting Systems Review. Biosystems Engineering, 90(2), 115-125.

Villarouco, V.; Andreto, L.F.M. (2208). Avaliando desempenho de espaços de trabalho sob o enfoque da ergonomia do ambiente construído. Produção, 18(3), 523-539.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v1i2.66

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Diego Onofre Vidal, Ariel Muncio Compagnon, Rouverson Pereira da Silva, Marcelo Boamorte Raveli, Fábio Alexandre Cavichioli

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Indexada nas seguintes bases:

 

          

Uma publicação da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação do IFGoiano - Câmpus Urutaí

 

  

 Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.