ATRIBUTOS DA QUALIDADE DE UM LATOSSOLO VERMELHO-AMARELO SOBRE O EFEITO DE DIFERENTES DOSES DE BIOSSÓLIDO, ADUBO ORGÂNICO E MINERAL

Juliana Vogado Coelho, Tancio Gutier Ailan Costa, Bruna de Freitas Iwata, Laécio Miranda Cunha, João Gabriel Pereira dos Santos, Gleide Ellen dos Santos Clementino

Resumo


O solo atua como reservatório de minerais necessários para as plantas, e o uso do biossólido atua como adubo orgânico ou condicionador do solo, podendo influenciar no desenvolvimento e produtividade das culturas e nas características químicas e físicas do solo. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar os atributos químicos e físicos de um Latossolo Vermelho-Amarelo sob efeito de diferentes dosagens de biossólido em comparação com adubação mineral (NPK) e esterco bovino. O estudo foi realizado no município de Corrente-PI, em experimento montado na área do campus do Instituto Federal do Piauí. O biossólido utilizado foi proveniente da estação de tratamento de esgoto do município, após tratamento com a cal virgem e caracterização dos macros e micronutrientes. Para realização do estudo foram delimitadas seis parcelas adjacentes dimensionadas em 1m x 1m, sendo uma parcela constituída para área testemunha, três para a aplicação do biossólido em doses, (1Kg, 2Kg, 4Kg) e nos demais tratamentos foram incorporados esterco bovino (200g) e adubo mineral (100g). Para a avaliação dos atributos físicos do solo, foram analisados teste de infiltração, matéria orgânica particulada (MOP), densidade e umidade do solo. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância pelo teste T utilizando o software Assistat 7.7. A avaliação da velocidade média de infiltração do solo identificou que os menores tempos e os teores mais significativos dos dados de MOP, ocorreram ambos na parcela sob incremento de 4 kg de biossólido. Observados os dados de densidade os valores são relativamente semelhantes para todos os tratamentos, ocorrendo acréscimo de umidade em todos os tratamentos com biossólido. Os máximos valores de H+Al foram obtidos nas parcelas com adubo mineral e esterco bovino, verificando aumento do potássio significativamente nas parcelas com biossólido. Os valores de cálcio e magnésio foram superiores no tratamento com 2 kg de biossólido assim como o aumento do carbono no mesmo tratamento e o aumento da CTC apresentou diferenças expressivas devido às doses de biossólido aplicadas. Houve um acréscimo importante no teor de nitrogênio na parcela com 2 Kg e 4Kg de biossólido e também na parcela sem adição de adubo. A relação C/N verificada no estudo identificou aumentos significativos do incremento de conteúdo orgânico ao solo. Já o teor de fosforo (P), houve amento em todos os tratamentos. Com os resultados das análises dos atributos físicos e químicos do solo obtidos pode-se concluir que, a aplicação do biossólido altera positivamente os atributos físicos do solo aumentando os teores de matéria orgânica particulada, melhorando a capacidade de retenção de água e reduzindo o adensamento dessas parcelas. Fica evidente que o uso do biossólido pode ser uma importante fonte de nutrientes para as plantas, reduzindo a utilização de fertilizantes químicos e diminuído os problemas de descarte inadequados do resíduo, além de enriquecer solos naturalmente pobres, como os solos do Cerrado.

Palavras-chave


Fertilidade do solo. Agricultura orgânica. Qualidade do solo.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, C. A. (2004). Fração orgânica de biossólidos e efeito no estoque de carbono e qualidade da matéria orgânica de um latossolo cultivado com eucalipto. (Tese de doutorado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Arruda, O. G. et al. (2013). Atributos físicos de um Latossolo degradado tratado com biossólido há cinco anos. Revista de Ciências Agrárias, 73-81.

Barbosa, G. M. C., Tavares Filho, J., Brito, O. R., Fonseca, I. C. B. (2007). Efeito residual do lodo de esgoto na produtividade do milho safrinha. Revista Brasileira Ciência do Solo, 601-605.

Barbosa, G. M. E., Tavares Filho, J. (2006). Uso agrícola do lodo de esgoto: influência nas propriedades químicas e físicas do solo, produtividade e recuperação de áreas degradadas. Semina: Ciências Agrárias, 565-580.

Bayer, C.; Mielniczuk, J. (1999). Dinâmica e função da matéria orgânica. In: Santos, G. A.; Camargo, F. A. O. Fundamentos da matéria orgânica do solo. (9-26) Porto Alegre: Genesis.

Berton, R.S., Nogueira, T. A. R. (2010). Uso de lodo de esgoto na agricultura. In: Coscione, A. R., Nogueria, T. A. R., Pires, A., M. M. Uso Agrícola de Lodo de Esgoto (avaliação após a Resolução n. 375 do CONAMA). Botucatu, Fepaf, 31-51.

Bonini, C. B., Alves, M. C., Montanari, R. (2015). Lodo de esgoto e adubação mineral na recuperação de atributos químicos de solo degradado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 388.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v1i13.911

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Direitos autorais 2018 Juliana Vogado Coelho, Tancio Gutier Ailan Costa, Bruna de Freitas Iwata, Laécio Miranda Cunha, João Gabriel Pereira dos Santos, Gleide Ellen dos Santos Clementino

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Indexada nas seguintes bases:

 

          

Uma publicação da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação do IFGoiano - Câmpus Urutaí

 

  

 Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.