AS FRONTEIRAS DO HUMANO: INDICAÇÕES INTRODUTÓRIAS PARA UMA DELIMITAÇÃO CONCEITUAL DAS NOÇÕES DE TRANS-HUMANISMO E PÓS-HUMANISMO

Authors

  • Cecília Sousa Neves

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i5.96

Abstract

No panorama contemporâneo, a filosofia se encontra face ao desafio de assimilar os debates em torno das conquistas e implicações das tecnociências. Neste novo contexto, exercem um papel importante as ideias e os programas do trans-humanismo e do pós-humano. Neste artigo buscaremos apontar algumas indicações úteis para a precisão conceitual dos termos trans-humanismo e pós-humanismo. Essa precisão é importante porque em muitas ocasiões as duas noções são usadas indistintamente.

Author Biography

Cecília Sousa Neves

Licenciatura e bacharelado em filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia. Mestrado pela mesma universidade.

References

REFERÊNCIAS

BRETON, D. Adeus ao corpo. In: NOVAES, A. (Org.). O homem-máquina: a ciência manipula o corpo. São Paulo: Companhia das Letras, 2003. p. 123-137.

BROCKMAN, J. The Third Culture: beyond the scientific revolution. London: Simon & Schuster, 1995.

BOSTROM, Nick. History of Transhumanist Thought. In: RECTENWALD M.; CARL, L (orgs.). Academic Writing Across the Disciplines. New York: Pearson Longman, 2011. Disponível em: <http://www.nickbostrom.com/papers/history.pdf>. Acesso em: 14 abr. 2015.

______. Transhumanist Values. Review of Contemporary Philosophy, New York, vol. 4, may 2005; Disponível em: < http://www.nickbostrom.com/ethics/values.html >. Acesso em: 11 maio 2015.

______. Transhumanist Values. Version of April 18, 2001. Disponível em: < http://www.nickbostrom.com/tra/values.html>. Acesso em: 11 maio 2015.

______. Why I want to be a Posthuman When I Grow Up. In: Medical Enhancement and Posthumanity. Eds. Bert Gordjin and Ruth Chadwick. Springer 2008: pp:107-137.

CLARK, A. Mindware. New York: Oxford University Press, 2001.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FUKUYAMA, F. Transhumanism. Foreign Policy, Washington, oct. 2009. (Special Report: The World’s Most Dangerous Ideas). Disponível em: <http://foreignpolicy.com/2009/10/23/transhumanism/>. Acesso em 12 maio 2015.

GARREAU, J. Radical Evolution. New York: Broadway Books, 2006.

GIACÓIA, O. Corpos em fabricação. Natureza humana, São Paulo, v.5, n.1, jun. 2003. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1517-24302003000100006&script=sci_arttext>. Acesso em: 12 maio 2015.

GUILLEBAUD, Jean-Claude. La vie vivante. Paris: Éditions des Arènes, 2011.

HAYLES, K. N. How we became posthuman: virtual bodies in cybernetics, literature, and informatics. Chicago: The University of Chicago Press, 1999.

JONGEN, M. A novidade da nossa época: temos um poder criador semelhante a Deus. Revista do Instituto Humanitas da Unisinos, São Leopoldo, edição 200, ano VI, 2006. Entrevista concedida a IHU on-line. Disponível em: <http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=491&secao=200>. Acesso em: 11 abr. 2015.

KURZWEIL, R. A era das máquinas espirituais. São Paulo: Editora Aleph, 2007.

MIRANDOLA, G. P.D. Discurso sobre a dignidade do homem. Rio de Janeiro: Edições 70, 1989.

MITCHAM, Carl. ¿Que es la filosofia de la tecnologia. Barcelona: Editorial Anthropos, 1989.

NIETZSCHE, F. Genealogia da moral. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

_____. Assim falou Zaratustra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

PARÍS, Carlos. O animal cultural. São Carlos, EdUFSCar, 2002.

RÜDIGER, F. Breve história do pós-humanismo: elementos de genealogia e criticismo. E-Compós, Brasília, v. 8, 2007, p.2-17. Disponível em: <http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/145/146>. Acesso em: 13 abr. 2015.

SANDEL, Michael J. Contra a perfeição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

SLOTERDIJK, Peter. Regras para o parque humano: uma resposta a carta de Heidegger sobre o humanismo. São Paulo: Estação Liberdade, 2000.

SNOW, C.P. The two cultures and the scientific revolution. New York: Cambridge University Press, 1959.

TADEU, T. Nós, ciborgues. O corpo elétrico e a dissolução do humano. In: TADEU, T. (Org.). Antropologia do ciborgue. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 7-15.

WOLFE, C. What is Posthumanism? London: University of Minnesota Press, 2010.

Published

2018-03-18

How to Cite

Neves, C. S. (2018). AS FRONTEIRAS DO HUMANO: INDICAÇÕES INTRODUTÓRIAS PARA UMA DELIMITAÇÃO CONCEITUAL DAS NOÇÕES DE TRANS-HUMANISMO E PÓS-HUMANISMO. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(5), 08-14. https://doi.org/10.33837/msj.v1i5.96

Issue

Section

Technical Communications