Reader Comments

tesao de vaca

by rc rc (2020-04-01)


Ejaculação precoce: 10 perguntas e respostas

É definida com a ocorrência da ejaculação antes ou logo apos a penetração e antes da vontade do homem, trazendo prejuízo ao casal, existem preservativos que ajudam a retardar a ejaculação. Mas para os homens que não deseja usar preservativo, existem algumas medicações (em geral antidepressivos) cujo efeito secundário resulta no retardo da ejaculação, trazendo benefício na relação sexual. Os efeitos colaterais destas drogas sãoperda de libido ou desejo sexual, falta de ejaculação, insônia, tontura, ansiedade, sonolência, etc.

Para que se possa considerar a ejaculação precoce é importante que os homens tenham uma ideia realista de qual é o tempo normal para ejaculação, e isto pode variar entre 5 e 7 minutos. O orgasmo representa o ápice do prazer no ato sexual e não precisa estar ligado à ejaculação. Seguir à risca as orientações médicas e praticar os métodos aprendidos são a melhor saída para problemas de ejaculação precoce. Algumas sessões de terapia podem ajudar o paciente a reduzir a ansiedade e a encontrar métodos eficientes de evitar o estresse e contornar problemas. Se esses fatores forem solucionados, a atividade sexual do indivíduo pode melhor significativamente.

Ela pode estar relacionada com a preocupação em satisfazer o outro durante o ato sexual e até mesmo com preocupações do dia a dia. Pacientes com o diagnóstico confirmado de macho macho podem ter uma sensibilidade peniana associada com estímulo vibratório maior e isso pode ser responsável diretamente pelo descontrole associado com a ejaculação precoce.

Já na ejaculação precoce secundária, o homem manifesta exatamente os mesmos sintomas da ejaculação primária, com a diferença de que os sintomas nem sempre fizeram parte de sua vida sexual. Homens que apresentam esse tipo de ejaculação precoce mantinham relações sexuais satisfatórias no passado e manifestaram o problema por algum motivo. Embora parte dos indivíduos consiga controlá-la durante o ato sexual, a grande maioria dos ejaculadores precoces é ansiosa. O problema é que quanto mais repetidas forem essas ejaculações, mais ansiosos eles ficam, mais adrenalina produzem e mais rápido ejaculam.

E o corpo tenderá a ejacular o mais rápido possível quando penetrado para garantir a reprodução, e não o prazer do casal. Na maioria dos casos, os tratamentos são centrados em gradualmente treinar e melhorar a habituação psychological para o sexo e o desenvolvimento físico de controle de estímulos. Em casos clínicos, vários medicamentos estão sendo usados para ajudar a diminuir a velocidade da ejaculação.

Historicamente, as tentativas de explicar a etiologia da EP incluíram diversas teorias biológicas e psicológicas. A maioria das etiologias propostas não são baseadas em evidência, sendo especulativas, na melhor das hipóteses.

Nos casos de origem em problemas inter-relacionais do casal ou problemas psicológicos como ansiedade, stress, frustração ou depressão, o tratamento pode ser mais lento e necessitar de várias sessões de psicoterapia sexual. A ejaculação precoce é uma disfunção que afeta homens de todas as idades. É a mais frequente disfunção sexual masculina e tem efeitos significativos sobre a qualidade de vida tanto do homem quanto de sua parceira. Várias abordagens têm sido utilizadas em seu tratamento, incluindo a terapia cognitiva e comportamental, os agentes tópicos e a terapia com medicamentos, tais como os inibidores da PDE-5 e os ISRS. A dapoxetina é um ISRS de meia-vida curta, que foi formulado para tratar a EP, e seus resultados parecem muito promissores.

ejaculação precoce

A idade e/ou a duração do relacionamento podem estar associadas com a frequência e o tipo de atividades sexuais de uma pessoa, e estas, por sua vez, podem influenciar a ELT. Atividades sexuais diferentes podem, portanto, ter características físicas e táteis significativamente diferentes, que, por sua vez, podem estar diferentemente associadas com o reflexo ejaculatório. Exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico são úteis para o tratamento. É possível fortalecer os músculos da região com atividades que se assemelham a "segurar o xixi". “O medo de perder a ereção acaba fazendo o homem ejacular”, afirma Giuliano Amorim Aita, médico da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia).

Esse problema afeta homens em idade sexual e as estatísticas mostram que até 30% da população mundial pode sofrer de ejaculação precoce. Entretanto, esses número pode estar subestimados, uma vez que muitos pacientes não reportam o problema ao seu médico. A ejaculação precoce (EP) é a disfunção sexual masculina mais frequente, estimando-se que acometa 20 a 30% dos homens em algum momento da vida.

A EP é a mais frequente disfunção sexual masculina, com uma estimativa de 20 a 30% dos homens que relataram apresentar EP (definida de várias formas) em algum momento de sua vida. Apesar dessa taxa de prevalência, poucos homens recebem tratamento médico ou psicológico eficaz para a EP, embora relatem autotratamento com uma variedade de abordagens comportamentais, cremes ou produtos naturais. A omissão na busca de tratamento pode ser atribuída à sensibilidade pessoal sobre o problema, omissão dos pacientes ou de seus médicos em discutir questões sexuais, e à percepção de que não existem intervenções eficazes. A ejaculação precoce é uma forma de disfunção sexual que pode afetar de forma negativa a qualidade da vida sexual de um homem. A ejaculação precoce ocorre quando um homem tem um orgasmo mais cedo do que o esperado durante a relação sexual.