A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página
SUSTENTABILIDADE

Reitoria começa a produzir energia solar

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Quarta, 02 de Junho de 2021, 09h26 | Última atualização em Segunda, 07 de Junho de 2021, 09h28 | Acessos: 60

Previsão é que a economia decorrente da usina seja de mais de 16 mil reais por ano.

A Reitoria do Instituto Federal Goiano (IF Goiano) iniciou nas últimas semanas a produção de energia nas 54 placas fotovoltaicas instaladas no ano passado em sua sede. Com isso, a previsão é de que a unidade economize mais de 16 mil reais por ano para uma produção de aproximadamente 27 mil kwh durante o mesmo período. 

O investimento em energia solar na Instituição é fruto de recurso liberado pelo Ministério da Educação (MEC) no final de 2019. O pró-reitor de Desenvolvimento Institucional, Gilson Dourado, explica que a instalação de usinas solares faz parte do plano do governo federal, que visa reverter custos, como os de energia elétrica, para a educação. 

Além da Reitoria, o recurso contemplou a instalação de placas fotovoltaicas nas unidades de Campos Belos, Ceres, Cristalina, Hidrolândia, Trindade e Urutaí. Até o momento, além da Reitoria, estão em funcionamento as usinas de Campos Belos, Ceres, Morrinhos, Hidrolândia e Rio Verde.

Já Urutaí, Trindade, Cristalina estão em fase de aprovação de projeto. De acordo com o engenheiro eletricista do IF Goiano, Daniel Accattini, ao final dessas instalações, praticamente todas as unidades com usinas em funcionamento estarão gerando mais de 90% da energia elétrica necessária para atender suas necessidades.

Para Gilson, a economia permitirá que essa verba de custeio seja revertida para outras demandas da mesma natureza. Os recursos de custeio são destinados à aquisição de bens e materiais de consumo, e à contratação de serviços de manutenção. “Além da contenção de gastos, há também a questão ambiental, visto que se trata de uma energia limpa”, comemora o pró-reitor.

Diretoria de Comunicação Social 

registrado em:
Fim do conteúdo da página