A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página
Empreendedorismo

IF Goiano participa de projeto-piloto do Programa Miniempresa

Publicado: Segunda, 06 de Novembro de 2017, 16h24 | Última atualização em Quarta, 08 de Novembro de 2017, 15h02 | Acessos: 131

Campus Ceres é uma das cinco unidades no País a serem contempladas com o projeto, representando os Institutos da região Centro-Oeste. O Programa é direcionado aos estudantes dos cursos técnicos integrados.

Estudantes da miniempresa Bioacessórios, criada pelo curso técnico em Agropecuária, durante reunião com pessoal da JA e o pró-reitor de Extensão do IF Goiano

Estudantes do curso de Meio Ambiente durante jornada da miniempresa Sweet Cotton, criada por eles

 

O Campus Ceres do Instituto Federal Goiano (IF Goiano), entre todos os 65 campi de Institutos Federais no Centro-Oeste, foi a unidade escolhida para implantação de projeto piloto do Programa Miniempresa. Inicialmente aplicado como um projeto de extensão, o Programa visa integrar, nos projetos curriculares dos cursos técnicos, as práticas de Empreendedorismo, ampliando a formação dos estudantes e estreitando os laços entre as instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPT) com as iniciativas empresariais regionais e nacionais.

O Programa Miniempresa é uma iniciativa da Junior Achievement Brasil (JA), sucursal da Junior Achievement Worldwide, organização criada em 1919, no âmbito da sociedade civil, para o desenvolvimento dos jovens para o mercado de trabalho. Conforme a JA, “através do método aprender-fazendo, o pioneirismo em educação financeira, a preparação para o mercado de trabalho e empreendedorismo, nós geramos caminhos para empregabilidade e criação de empregos”, informa a página da organização.

Para os Institutos Federais, foi pensado um formato especial do Programa, denominado Programa para a Curricularização do Ensino de Empreendedorismo nas Instituições de Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, em parceria com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC). Como se trata de um projeto piloto, a seleção restringiu-se a apenas um campus por região do País, sendo o Campus Ceres o representante não só do IF Goiano, mas de todos os demais Institutos da região Centro-Oeste (IF Brasília, IF de Goiás, IF de Mato Grosso e IF de Mato Grosso do Sul).

O pró-reitor de Extensão do IF Goiano, Sebastião Nunes, destaca a importância de uma unidade do IF Goiano ter a oportunidade de participar do projeto piloto e se apresentar como modelo para as futuras ações do programa. Para o professor, o Programa é uma oportunidade para unidades de origens agrícolas, como é o caso do Campus Ceres, serem analisadas em seus contextos específicos. "Esse projeto tende a se consolidar não só no Campus Ceres, mas também no IF Goiano como um todo", afirma.

O projeto piloto do Programa tem duração prevista de seis meses, com 15 jornadas com os estudantes participantes. Embora inicialmente considerado uma prática de extensão, o mesmo deverá envolver também o ensino, a fim de que, futuramente, haja possibilidade de absorção do Projeto nas matrizes curriculares dos cursos. “Junto aos pilotos também será conduzida uma pesquisa, com a finalidade de avaliar os resultados e gerar conhecimento para a proposição do programa definitivo, que tem a ambição de chegar a todos os campi da Rede e viabilizar a metodologia como um modelo de ensino de Empreendedorismo nas IFs”, informa Tadeu Sant’Anna, servidor do IF Espírito Santo e coordenador geral, pela Setec, para implantação do Programa.

Por meio do Programa, espera-se que os estudantes dos cursos técnicos conheçam as especificidades relacionadas à intenção de se começar um próprio negócio. Além disso, terão a oportunidade de desenvolver visão estratégica e conhecerem as áreas e ramificações mais promissoras. “A motivação para a escolha desse modelo é o seu caráter vivencial, em que teoria e prática se integram para gerar uma rica experiência de aprendizagem no contexto real de uma empresa, ainda que ela exista apenas informalmente, como uma simulação”, explica Sant’Anna.

 

ONDE ESTÁ O PROGRAMA MINIEMPRESA?

REGIÃO REPRESENTADA

INSTITUIÇÃO/ UNIDADE RESPONSÁVEL

Região Centro-Oeste

IF Goiano - Campus Ceres

Região Nordeste

IF Sertão Pernambucano - Campus Petrolina

Região Norte

Ifam - Campus Manaus Distrito Industrial

Região Sudeste

Ifes - Campus Venda Nova do Imigrante

Região Sul

IFSC - Campus Florianópolis

 

As miniempresas da Região Centro-Oeste – No Campus Ceres estão sendo desenvolvidas três miniempresas, sendo que cada curso técnico – Agropecuária, Informática para Internet e Meio Ambiente – é responsável por uma. Durante o processo, foi permitido a cada grupo escolher sua área de atuação, que poderia relação à de formação técnica, caso houvesse interesse. “O Programa nos permitia desenvolver até quatro miniempresas. Então, nós fizemos uma sensibilização com as turmas e foram escolhidas as que apresentaram mais interesse, dentro de cada curso. Assim, participam todos os estudantes das turmas selecionadas – aproximadamente 110 discentes”, explica o Diretor de Ensino do campus, Adriano Braga. Por definição da própria Setec, a seleção abarcou apenas as turmas de 2ª série do Ensino Médio Técnico.

Cada miniempresa possui um professor orientador, chamado de adviser, que acompanha os trabalhos sem, no entanto, interferir nos rumos. “Ao final do projeto, cada miniempresa terá que concluir a produção de um produto, de fabricação quase na totalmente artesanal. Quem definirá os produtos a serem desenvolvidos são as miniempresas – os professores atuarão apenas como orientadores”, explica Braga.

Estudantes da miniempresa Bioacessórios, criada pelo curso técnico em Agropecuária, durante reunião com pessoal da JA e o pró-reitor de Extensão do IF Goiano

 

Aproveitamento de conteúdo – Além do aprendizado esperado, especialmente na área do Empreendedorismo, os estudantes envolvidos terão oportunidade de avançar nos conteúdos programáticos, por meio de sua participação no Programa. “O regulamento dos cursos técnicos prevê essa possibilidade”, conta Adriano Braga, ao detalhar as propostas que estão sendo analisadas pelas coordenações de ambos os cursos técnicos.

“Para as turmas de Informática para Internet e Meio Ambiente, estamos avaliando que os estudantes que concluírem com êxito o Projeto Miniempresa possam aproveitar o certificado para a disciplina de Administração e Empreendedorismo, da grade curricular do último ano do Ensino Médio Técnico, informa o diretor. A turma de Agropecuária, por sua vez, poderá ter aproveitamento do Programa na disciplina de Administração Rural, além de aproveitar carga horária do projeto como Estágio Supervisionado, obrigatório para essa formação.

 

Assessoria de Comunicação Social - Campus Ceres, adaptada

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página