Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página
EXTENSÃO

Economia Popular e Solidária nas ações do IF Goiano

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Quinta, 23 de Mai de 2024, 15h08 | Última atualização em Terça, 28 de Mai de 2024, 22h43 | Acessos: 350

A instituição tem expandido iniciativas de inclusão, capacitando comunidades em vulnerabilidade social.

imagem sem descrição.

O Instituto Federal Goiano (IF Goiano), por meio da pró-reitoria de Extensão (Proex) tem se dedicado a implementar ações significativas nas comunidades em situação de vulnerabilidade social. Essas iniciativas visam, não apenas mitigar as desigualdades existentes, mas também promover o desenvolvimento sustentável dessas comunidades, por meio da educação, capacitação e apoio socioeconômico.

Maciel Serafim faz parte da comunidade quilombola do Brejão, no munícipio de Campos Belos, e vem colhendo frutos da parceria com o IF Goiano. Ele contou que, através dos projetos de extensão executados pela instituição, ele tem conseguido acreditar mais ainda em seu trabalho como agricultor familiar, além de se capacitar e adquirir cada vez mais conhecimento. "O IF Goiano impactou muito na minha vida, eu passei a enxergar minha pequena propriedade como empresa e a administrar bem", destaca.

Com as informações e orientações recebidas com o projeto "Farinhando" executado no Campus Campos Belos, Maciel conseguiu profissionalizar sua produção e, segundo ele, agora pode vislumbrar tirar seu sustento a partir da cultura da mandioca. "Só tenho a agradecer ao IF Goiano e seus professores que até hoje não abandonam a gente. Sempre que a gente precisa, eles estão à disposição para nos ajudar", finaliza.

Maciel Serafim da Comunidade quilombola do Brejão

Francielle Rego é professora do IF Goiano Campus Campos Belos e já fez parte de várias iniciativas voltadas para a capacitação das comunidades em vulnerabilidade social. Ela também faz parte do projeto "Farinhando" e explicou que as ações já envolveram mais de vinte famílias da comunidade quilombola Brejão. De acordo com a professora, projetos como esse dão visibilidade a pessoas que muitas vezes são esquecidas. "O IF Goiano se torna um incentivador, mostrando que essas comunidades têm suas riquezas e podem crescer e serem vistas".

Além dos inúmeros projetos de extensão voltados para populações marginalizadas já executados em todos os campi do IF Goiano, a Proex iniciou no mês passado o Programa de formação e qualificação profissional em Economia Popular e Solidária (EcoSol), ação do governo federal iniciada no Instituto Federal de São Paulo. Nomeado como Programa Manuel Querino (PMQ) e idealizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a iniciativa tem o objetivo de apoiar o desenvolvimento de cursos de qualificação profissional e social, visando à formação de trabalhadores(as) em situação de vulnerabilidade social e/ou econômica.

A Proex já iniciou as tratativas de implantação do Programa de Formação em Economia Popular e Solidária (EcoSol) com a Associação Quilombola da Vazante, em Divinópolis-GO, e a Associação Quilombola do Brejão, em Campos Belos-GO. Estes programas, desenvolvidos em estreita colaboração com as comunidades, visam atender às necessidades reais e fortalecer as cadeias produtivas locais. Segundo o Pró-Reitor de Extensão, Luciano Ribeiro, a conquista deste programa representa um marco significativo para o IF Goiano, permitindo a oferta de 100% das vagas para comunidades quilombolas, indígenas, acampados e assentados em diversas unidades do IF Goiano. "Este avanço estratégico amplia ainda mais o impacto positivo dessas ações, promovendo a inclusão e o desenvolvimento sustentável por meio da educação", relata o Pró-Reitor.

Luciano explicou que os esforços conjuntos do Diretor Geral do Campus Campos Belos, professor Althiéres Saraiva, do gestor da Extensão no campus, professor João Rufino, da professora Francielle Rego e das lideranças comunitárias têm sido fundamentais para o sucesso e a implementação desses projetos. "A visão compartilhada e o comprometimento desses parceiros são essenciais para alcançar resultados transformadores e duradouros", destaca.

Para a líder comunitária da Comunidade quilombola do Brejão, Daiane Carmo, os projetos iniciados pelo IF Goiano são muito importantes para a comunidade, porque é uma maneira de somar com o conhecimento das pessoas, e ainda existe apoio financeiro. "O IF Goiano é uma instituição que tem ótimos profissionais e tem uma ótima relação com a nossa comunidade. Portanto, quando fiquei sabendo que iriam desenvolver mais cursos com um novo projeto, fiquei muito feliz, porque sei da capacidade e empenho dos profissionais", conta.

Atualmente existem três editais sendo finalizados no IF Goiano, que ofereceram vagas no Programa Manuel Querino de Qualificação Social e Profissional (PMQ). A seleção foi destinada aos servidores ativos do IF Goiano, bem como servidores municipais e estaduais de Goiás e ao público externo sem vínculo empregatício com nenhuma esfera pública. As vagas foram para as unidades de Campos Belos (Comunidade Quilombola da Vazante / Comunidade Quilombola do Brejão), Ceres (Comunidade Indígena Tapuia), Hidrolândia (Acampamento do Movimento Agrário Dona Neura Torres), Ipameri (Assentamento do Movimento Agrário Olga Benário), Morrinhos (Assentamento do Movimento Agrário Tijunqueiro), entre outras. Os cursos giram em torno de várias áreas, como Noções de Biossegurança, Inclusão digital, Gestão, Educação Infantil, entre outras.

Diretoria de Comunicação Social

registrado em:
Fim do conteúdo da página