A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página
Rio Verde

Pesquisas no Ensino pautam discussões do segundo dia de Seminários

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Sexta, 26 de Abril de 2019, 12h58 | Última atualização em Terça, 30 de Abril de 2019, 10h53 | Acessos: 270

Durante a manhã, palestrantes debateram assuntos voltados para as áreas de Ciências da Natureza e Matemática e Ciências Humanas e Linguagens. Discussões sobre a pesquisa na formação e prática docente encerraram o evento no período da tarde.

A manhã do último dia de atividades do Seminário Internacional de Formação de Professores, que aconteceu de forma conjunta com o II Seminário do Programa Residência Pedagógica do IF Goiano e o III Seminário do Programa de Iniciação à Docência (Pibid) do IF Goiano,  foi marcada por debates voltados para as pesquisas no ensino, tanto em Ciências da Natureza e Matemática, como em Ciências Humanas e Linguagens. 

O tema voltado para a pesquisa no ensino das Ciências Humanas e Linguagens foi desenvolvido pelos professores da Universidade Autónoma de Barcelona (UAB), Espanha, Joan Pagés Blanch, e do Instituto Federal Goiano (IF Goiano), Paulo Alberto da Silva Sales.

Em Sua fala, o professor da UAB, expôs um breve histórico de sua experiência pessoal na formação docente e falou sobre o triângulo didático que se estabelece na relação entre aluno, professor e saber. De acordo com ele, para entender a educação como mais do que uma simples transferência de tendências, preconceitos e conteúdos obsoletos para alunos desinteressados é necessário que o professor dê atenção aos seus próprios referenciais.

Para Joan, “a didática das ciências humanas e sociais é uma disciplina de pesquisa que analisa os conteúdos, objeto de ensino e aprendizagem das ciências humanas e sociais (história, geografia, cidadania, etc.) e os transforma em conhecimento útil para a educação de professores e para os administradores do currículo”.

Já Paulo Alberto, falou sobre a pesquisa em linguística e literatura, abordando as perspectivas e desafios teórico-metodológicos da área. O professor mostrou como a pesquisa vem se configurando na prática pedagógica e a perspectiva que os estudos em linguística e literatura estão caminhando. Paulo pontuou ainda questões referentes ao ensino feito pela pesquisa em Linguística e em Literatura.

O debate sobre a Pesquisa no Ensino das Ciências da Natureza e Matemática, contou com a participação da professora do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), Giselle Roças, e do professor Iran Abreu Mendes, da Universidade Federal do Pará (UFPA).

O momento proporcionou discussões acerca de temas como as principais falhas na formação docente. De acordo com Giselle, uma das principais questões nesse sentido refere-se ao fato daqueles professores que não incentivam o pensamento crítico do aluno. “É preciso pensar em momentos diferentes da prática cotidiana, outras situações em sala de aula que permitam uma integração diferenciada”, explica.

No período da tarde, o debate sobre a pesquisa na formação e prática docente reuniu os dois professores estrangeiros, Joan Pagés Blanch, da Universidade Autônoma de Barcelona (UAB) e José Augusto Pacheco, da Universidade do Minho de Portugal.

Com uma linha teórica comum, os debatedores ressaltaram a importância da investigação na formação do professor. Para Joan, o professor deve conhecer a sua história, por isso, a importância de se fazer pesquisa em sua área de atuação. "Os professores precisam levar os problemas para serem discutidos, pesquisados", pontuou. Em consonância com o professor espanhol, Pacheco reiterou a importância da investigação contextualizada. "A investigação deve estar no contexto, na realidade da sala de aula".

Quando questionados pelos participantes sobre o atual contexto brasileiro em que se refuta o saber científico e se discute a extinção de cursos de Filosofia e Sociologia, os professores estrangeiros disseram que deve-se ter sempre em mente que a escola não pode ser causadora de injustiça social. Professor Pacheco finalizou com uma frase de Nelson Mandela "A Educação é uma arma para a construção do futuro" e fez questão de ressaltar o valor de Paulo Freire para a educação mundial, em especial para os países que fazem parte da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI) para a Educação, a Ciência e a Cultura.

São eles: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, República Dominicana, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Guiné Equatorial, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Porto Rico, Uruguai e Venezuela.

Um sorteio de livros fechou as atividades dos Seminários de Educação que reuniram cerca de 2 mil participantes no Campus Rio Verde durante dois dias.

 

Setor de Comunicação Social e Eventos do Campus Rio Verde

Colaborou: Coordenação-geral de Comunicação Social e Eventos do IF Goiano

 

 

Fim do conteúdo da página