A barra do Governo Federal só poderá ser visualizada se o javascript estiver ativado. Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Início do conteúdo da página

Polo desenvolve ferramenta de gestão agrícola

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Terça, 06 de Outubro de 2020, 18h41 | Última atualização em Quinta, 08 de Outubro de 2020, 11h04 | Acessos: 160

Software desenvolvido pelo IF Goiano foi encomendado e validado por grupo de produtores rurais.

Visita a produtor rural em 2018, para coleta de dados.
imagem sem descrição.

O Polo de Inovação do IF Goiano entregou mais uma solução tecnológica com apoio da Embrapii: um software para gestão agrícola direcionado a grupos de produtores rurais, como associações e cooperativas. O projeto foi encomendado pelo Grupo Associado de Pesquisa do Sudoeste Goiano (Gapes), em parceria com a startup Phyll Soluções de Tecnologia.

Para desenvolver o software, a equipe do IF Goiano realizou um extenso levantamento junto aos produtores rurais do grupo, buscando identificar o máximo de variáveis envolvidas no manejo e na composição de custos e da rentabilidade. Durante um ano-safra, estudantes e profissionais do projeto visitaram propriedades rurais para coletar dados e informações junto aos responsáveis por processos de gestão.

O agrônomo e estudante de doutorado Vitor Martins Veneziano relata que os produtores rurais, mesmo utilizando as melhores tecnologias de manejo, podem não alcançar a rentabilidade que esperam por conta dos custos envolvidos. “Nosso trabalho deve agregar informações valiosas a esse universo tão desenvolvido, tornando a agricultura cada vez mais eficiente e competitiva”, comentou Vitor.

Estudantes do curso de Ciência da Computação do Campus Rio Verde, coordenados pelo professor Rafael Carvalho de Mendonça, atuaram na programação do software. A pesquisadora Rubia Cristina Arantes Marques, também coordenadora do projeto, explica que os dados lançados na plataforma por cada produtor poderão ser consultados pelos demais do grupo, ainda que de forma anônima.  “O software viabiliza uma espécie de benchmarking entre os produtores rurais, pois gera relatórios que mostram correlações entre decisões no manejo na lavoura e seus impactos na rentabilidade”, explica Rubia.

Segundo o presidente do Gapes, Charles Peeters, o projeto responde a uma demanda dos produtores que tinham dificuldade de fazer análises desse tipo. “Até hoje vínhamos usando ferramentas diferentes e registrando dados distintos. Agora temos uma ferramenta simples e que permite ao grupo chegar a conclusões mais precisas sobre manejo, produtividade, eficiência operacional e rentabilidade”. Charles complementa ainda que o novo software vai permitir a tomada de decisões não só pelos produtores individualmente, mas principalmente nas atividades em grupo.

O Diretor-Geral do Polo de Inovação, Alaerson Maia Geraldine, contou que o Gapes é um parceiro de longa data do IF Goiano, mas que esse foi o primeiro projeto de inovação em conjunto, ou seja, projeto que desenvolveu e gerou uma nova solução para o mercado agrícola. “Essa integração entre diferentes agentes do ecossistema de inovação permite compartilhar conhecimento, experiências e, com isso, gerar soluções que efetivamente respondam ao que se espera da pesquisa aplicada”, comentou ele, se referindo à parceria formada no projeto entre IF Goiano, Embrapii, a startup Phyll e os produtores rurais do Gapes.

O Gapes surgiu em 2000, reunindo produtores rurais em Rio Verde, com o objetivo de investir em pesquisa aplicada que respondessem suas demandas. Seus associados são responsáveis pelo cultivo de cerca de 220 mil hectares, principalmente no sudoeste goiano, mas também em municípios do Mato Grosso, Minas Gerais e Bahia. O grupo cultiva principalmente soja, milho, algodão e feijão. Já a Phyll Soluções de Tecnologia é uma startup (spin-off) ligada à empresa Oplen, ambas com sede em Porto Alegre (RS), e que atua no mercado de desenvolvimento de softwares. A empresa será responsável por disponibilizar o produto ao mercado, que também está sendo registrado junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

 Assessoria de Comunicação do Polo de Inovação
Texto e foto: Karen Terossi

Fim do conteúdo da página